18 Outubro 2021, 15:56

Covid-19: Incidência e índice de transmissibilidade voltam a descer em todo o país

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Lisboa, 17 set 2021 (Lusa) – A taxa de incidência nacional de infeções com SARS-CoV-2 nos últimos 14 dias registou uma descida significativa, de 191,1 para 173,6 casos por 100 mil habitantes, e o índice de transmissibilidade caiu de 0,84 para 0,83.


Já relativamente a Portugal continental, o boletim epidemiológico conjunto da Direção-Geral da Saúde e do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge divulgado hoje revela que a taxa de incidência (média de novos casos por 100.000 habitantes nos últimos 14 dias) baixou de 196,1 para 177,9.


O Rt – que estima o número de casos secundários de infeção resultantes de uma pessoa portadora do vírus – está hoje em 0,83 a nível nacional e em 0,82 em Portugal continental.


Na quarta-feira estava em 0,84 a nível nacional e 0,83 em Portugal continental.


Os dados do Rt e da incidência de novos casos por 100 mil habitantes a 14 dias – indicadores que compõem a matriz de risco de acompanhamento da pandemia – são atualizados pelas autoridades de saúde à segunda-feira, à quarta-feira e à sexta-feira.


O nível de risco na matriz de monitorização da pandemia de covid-19 fixa-se em 480 casos por 100 mil habitantes a 14 dias.


De acordo com o portal do Governo para a covid-19, “a monitorização da evolução da pandemia continuará a ser feita com base nos indicadores de incidência e Rt, adaptados de acordo com a evolução da vacinação (nível de alerta é de 240, nível de risco é de 480)”.


A covid-19 provocou pelo menos 4.667.150 mortes em todo o mundo, entre mais de 226.967.810 milhões de infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.


Em Portugal, desde março de 2020, morreram 17.895 pessoas e foram contabilizados 1.060.432 casos de infeção confirmados, segundo dados da Direção-Geral da Saúde.


A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em países como o Reino Unido, Índia, África do Sul, Brasil ou Peru.




GC // HB


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário