22 Outubro 2021, 10:20

Covid-19: Índia regista 630 mortos e mais de 155 mil infetados, máximo diário de casos

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Nova Deli, 07 abr 2021 (Lusa) – A Índia registou 630 mortos e 115.736 infetados com o novo coronavírus nas últimas 24 horas, o maior número de casos desde o início da pandemia da covid-19, no contexto de uma segunda vaga.


A Índia, que ultrapassou a barreira dos 100 mil casos diários pela primeira vez na segunda-feira e é o terceiro país do mundo mais afetado pela doença, atrás dos Estados Unidos e do Brasil, com um total de 12,8 milhões de casos, de acordo com dados do Ministério da Saúde indiano.


O país também registou 630 mortes num único dia, elevando o número total de mortes para 166.177.


A Índia está a viver uma segunda vaga de casos, depois de ter visto os números baixarem em fevereiro para menos de dez mil infeções por dia, de um pico de quase 100 mil casos diários registados em setembro.


O novo surto de infeções também surgiu depois de meses em que as medidas preventivas, como o uso de máscaras ou o distanciamento social, foram aliviadas pelas autoridades indianas.


No entanto, agora vários estados anunciaram a imposição de novas medidas, como o recolher obrigatório, confinamentos parciais e encerramento de empresas consideradas não essenciais.


A Índia já administrou 87 milhões de doses desde janeiro. Mais de dez milhões de pessoas receberam até agora as duas doses necessárias para concluir o processo de vacinação.


O país tem uma população de cerca de 1,3 mil milhões de pessoas e as autoridades afirmaram pretender vacinar 300 milhões até meados do ano com doses da fórmula AstraZeneca, Covishield, ou o laboratório indiano Bharat Biotech, produtor do soro local Covaxin.


A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.862.002 mortos no mundo, resultantes de mais de 131,7 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência de notícias France-Presse (AFP).


Em Portugal, morreram 16.887 pessoas dos 824.368 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.


A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.



JMC // EJ


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário