28 Setembro 2021, 15:07

Covid-19: Infeções ativas diminuem em Timor-Leste

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Díli, 06 jun 2021 (Lusa) — O número de casos ativos de covid-19 voltou hoje a descer em Timor-Leste, com as recuperações (152) a superarem as novas infeções (81), a maior parte detetadas em Díli e Baucau, anunciaram as autoridades timorenses.


Em comunicado, o Centro Integrado de Gestão de Crise (CIGC) assinalou que os casos ativos caíram para 2.402 e que, pela primeira vez em vários meses, se registaram mais casos fora da capital timorense (45) do que em Díli (36).


Fora da capital, foram registados 28 casos em Baucau, quatro casos em cada um dos municípios de Covalima e Manatuto, três em Viqueque, dois cada em Ainaro e Bobonaro e um cada em Lautem e Liquiçá.


Depois de Díli, com 18.06 casos ativos, Baucau tem atualmente o maior número de casos ativos (227), seguindo-se Covalima (145) e Bobonaro (105).


Segundo o CIGC, há casos ativos atualmente em todos os municípios do país e ainda na Região Administrativa Especial de Oecusse-Ambeno (RAEOA).


Os casos positivos detetados em Díli correspondem a 5,14% dos 701 testes realizados, enquanto os detetados fora da capital correspondem a 17%, um dos números mais elevados de sempre.


Em Baucau, os 28 testes positivos correspondem a 47,5% dos 59 testes realizados.


Em termos gerais, as autoridades timorenses registaram 152 recuperações, 130 das quais em Díli, com o total de casos ativos no país a cair para 2.402.


O total acumulado desde o início da pandemia é agora de 5.321 casos de infeção como o coronavírus SARS-CoV-2, que provoca a covid-19.


A taxa de incidência é de 28,9 por 100 mil habitantes em Díli e de 9,1 por 100 mil a nível nacional.


No centro de isolamento de Vera Cruz, em Díli, há atualmente 27 pacientes, dos quais três em estado grave e 11 em estado moderado.


A pandemia de covid-19 provocou mais de 3,7 milhões de mortos em todo o mundo desde o final de 2019, resultantes de mais de 172 milhões de casos de infeção, segundo um balanço da agência francesa AFP.



ASP // PNG


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário