07 Dezembro 2021, 00:46

Covid-19: Itália regista 19.886 novos casos e 308 mortes e aumenta a taxa de vacinação

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Roma, 25 fev 2021 (Lusa) — A Itália registou 19.886 casos de covid-19 e 308 mortes nas últimas 24 horas, segundo dados do Ministério da Saúde, enquanto as autoridades relataram um aumento na taxa de vacinação esta semana, com uma média de 100.000 doses diárias.


Com o número de novos casos, maior do que nos últimos dias, o país soma agora 2.868.435 contágios desde o início da pandemia.


As infeções anunciadas hoje representam um aumento significativo em relação a quarta-feira, com mais 3.462 casos detetados.


No que toca a óbitos, o país registou menos 10 do que no dia anterior, elevando o total para 96.974 vítimas mortais.


Quanto ao número de testes, 443.704 foram realizados nas últimas 24 horas, o que pode explicar o aumento de casos detetados, já que representam mais de 100.000 provas feitas do que na quarta-feira.


Dos 389.433 atualmente infetados, 20.425 estão hospitalizados (mais 51 do que na quarta-feira) e 2.168 estão internados em Unidades de Cuidados Intensivos (mais 11).


A campanha de vacinação italiana continua e o número de doses administradas até agora de 3.872.278, das quais 1.355.543 pessoas foram imunizadas.


A vacinação está a registar um “aumento reconfortante”, indicou hoje o comissário extraordinário para a emergência da covid-19 do governo italiano, Domenico Arcuri, assinalando que desde segunda-feira foram inoculadas em média 100.000 doses por dia, com um máximo de 102.433 na quarta-feira.


Hoje, o Instituto Superior de Saúde de Itália referiu que no país, estima-se que a variante descoberta no Reino Unido “tem uma transmissibilidade 37% superior do que as não variantes, com uma grande incerteza estatística (entre 18% e 60%).


“Esses valores estão em linha com os relatados noutros países, embora sejam um pouco menores, o que nos leva a considerar a oportunidade de que se possam aplicar medidas de controlo mais estritas para conter os surtos incipientes até à sua mitigação”, acrescentou.


O Ministério da Saúde estimou, em 12 de fevereiro, que 17,8% das infeções no país devem-se à variante descoberta no Reino Unido, um número semelhante ao resto da Europa, embora tenha destacado que há áreas do país onde essa incidência supera os 50%.


Neste momento, as regiões de Emília-Romanha, Ligúria, Toscana, Campânia, Molise, Abruzzo, Úmbria e as províncias autónomas de Bolzano e Trentino estão em zona “laranja”, de risco intermédio.


O resto do país permanece listado como “amarelo”, de baixo risco, enquanto nenhuma região está na zona “vermelha”, de maior risco.


A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.498.003 mortos no mundo, resultantes de mais de 112,5 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.


A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.



AXYG // EL


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário