28 Setembro 2021, 06:15

Covid-19: Líderes regionais do PS pedem esforço para manter Madeira e Açores na “lista verde” do Reino Unido

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Funchal, Madeira, 05 jun 2021 (Lusa) – Os líderes das estruturas regionais do PS da Madeira e dos Açores defenderam hoje, no Funchal, que as autoridades devem desenvolver esforços junto do governo britânico para garantir a manutenção das duas regiões na “lista verde” de viagens internacionais.


“Não basta apenas clamar contra”, afirmou o líder socialista açoriano, Vasco Cordeiro, reforçando: “É preciso pôr pés a caminho e explicar, se necessário for, ao governo britânico, ou pelos devidos canais, aquilo que nos parece óbvio.”


Opinião semelhante foi manifestada pelo presidente do PS/Madeira, Paulo Cafôfo, que considera “inexplicável” a decisão do Reino Unido em retirar Portugal da “lista verde”.


“O que devia ser feito era uma conjugação de esforços do Governo Regional, com o Governo da República, particularmente com o Ministério dos Negócios Estrangeiros, para excecionar a Madeira e os Açores”, declarou.


Paulo Cafôfo e Vasco Cordeiro falavam após uma audiência com o presidente da Assembleia Legislativa da Madeira, José Manuel Rodrigues, na sequência da deslocação do líder do PS/Açores à região, onde hoje decorre a cimeira “Autonomia 2030 – Madeira e Açores em Diálogo”.


“De acordo com aquilo que já aconteceu no passado, por decisões do governo britânico, atualmente não me parece que haja nada que justifique que os Açores e a Madeira não sejam excecionados desta decisão que houve em relação ao nosso país”, afirmou Vasco Cordeiro.


E reforçou: “Isso não significa menor solidariedade para com o país, isto não significa culpabilizar quem quer que seja, significa apenas que a situação sanitária das duas regiões autónomas permite que haja a manutenção no ?corredor verde’ com o Reino Unido.”


Paulo Cafôfo considerou, por seu lado, que a saída de Portugal da “lista verde” de viagens internacionais do Reino Unido tem “consequências graves” para o turismo nas duas regiões, mas sobretudo para a Madeira, devido à importância do mercado britânico.


De acordo com os dados mais recentes da Direção Regional da Saúde, o arquipélago da Madeira regista 140 casos ativos de covid-19, num total de 9.493 confirmados desde o início da pandemia, e 72 mortos associados à doença.


Os Açores têm atualmente 279 casos ativos de infeção pelo novo coronavírus, todos em São Miguel. Desde o início da pandemia foram diagnosticados na região 5.653 casos de infeção, tendo ocorrido 5.211 recuperações e 33 mortes.


O Ministério dos Transportes britânico anunciou na quinta-feira que Portugal, incluindo os arquipélagos da Madeira e Açores, vai deixar a “lista verde” de viagens internacionais do Governo britânico na terça-feira às 04:00.


Segundo o ministério, Portugal passa para a “lista amarela” para “salvaguardar a saúde pública contra variantes preocupantes” e proteger a o programa de vacinação britânico.


Num comunicado, o Governo britânico refere que, de acordo com a base de dados europeia GISAID, foram identificados em Portugal 68 casos da variante B1.617.2, identificada pela primeira vez na Índia, denominada pela Organização Mundial de Saúde por variante Delta, “com uma mutação adicional potencialmente prejudicial”.


A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 3.704.003 mortos no mundo, resultantes de mais de 172 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.


Em Portugal, morreram 17.029 pessoas dos 851.461 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.


A doença é transmitida pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.



DC (CYB/BM) // PJA


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário