05 Dezembro 2021, 00:00

Covid-19: Macau anuncia reabertura de espaços de entretenimento na terça-feira

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Macau, China, 16 out 2021 (Lusa) – Os espaços culturais, desportivos e de diversão em Macau, encerrados desde 06 de outubro para evitar a transmissão comunitária da covid-19, podem reabrir na terça-feira, foi hoje anunciado.


Em despacho publicado no Boletim Oficial, o chefe do Executivo, Ho Iat Seng, decretou que a partir das 00:00 de terça-feira (17:00 de segunda-feira em Lisboa) é levantada a medida especial de encerramento de alguns recintos de entretenimento.


Esta decisão vem pôr fim ao encerramento, em vigor desde as 00:00 de 06 de agosto (17:00 de 05 de agosto em Lisboa), de “cinemas, teatros, parques de diversão em recintos fechados, salas de máquinas de diversão e jogos em vídeo, cibercafés, salas de jogos de bilhar e de ‘bowling’, estabelecimentos de saunas e de massagens, salões de beleza, ginásios de musculação, estabelecimentos de ‘health club’ e ‘karaoke’, bares, ‘night-clubs’, discotecas, salas de dança e cabaret”.


A medida de resposta a um possível risco de surto comunitário de covid-19 no território foi tomada na sequência da imposição do estado de prevenção imediata, em 25 de setembro, depois de a doença ter sido diagnosticada num residente de Macau oriundo da Turquia e em vários casos relacionados, em trabalhadores locais. O estado de prevenção imediata terminou na sexta-feira.


Desde o início da pandemia, Macau registou 77 casos de covid-19.


A campanha de vacinação, voluntária e com a possibilidade de escolha entre duas vacinas, a Sinopharm e a BioNTech/Pfizer, arrancou em fevereiro.


Das mais de 680 mil pessoas que vivem no território, 325.440 receberam as duas doses que completam o processo de vacinação contra a covid-19, de acordo com os últimos dados disponibilizados ‘online’ pelos Serviços de Saúde de Macau.


A covid-19 provocou pelo menos 4.878.719 mortes em todo o mundo, entre mais de 239 milhões infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.


A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em vários países.



EJ // NS


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário