24 Setembro 2021, 15:37

Covid-19: Moderna avança com pedido de vacinação para adolescentes

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Washington, 07 jun 2021 (Lusa) — A farmacêutica Moderna anunciou hoje que entregou pedidos de autorização para utilização da sua vacina contra a covid-19 em adolescentes dos 12 aos 17 anos na União Europeia e no Canadá.


Os pedidos da farmacêutica dos Estados Unidos foram entregues junto da Agência Europeia dos Medicamentos (EMA, na sigla em inglês) e da Saúde Canadá.


Atualmente a vacina da Moderna está autorizada apenas para pessoas a partir dos 18 anos.


A vacina contra a covid-19 do consórcio americano-alemão Pfizer/BioNTech, foi autorizada no final de maio para adolescentes de 12 anos nos 27 países da União Europeia e está já igualmente autorizada para esta faixa etária no Canadá.


A Moderna anunciou no final de maio os resultados finais de ensaios clínicos em mais de 3.700 participantes com idades entre os 12 e os 17 anos, nos Estados Unidos.


“Neste estudo, nenhum caso de covid-19 foi observado nos participantes que receberam as duas doses da vacina da Moderna”, observando-se uma eficácia de “100% usando a mesma definição de um caso” do que para os adultos, declarou hoje a empresa de biotecnologia americana em comunicado.


Após uma dose, foi observada uma eficácia de 93%, precisou a mesma fonte.


Os poucos casos declarados entre os adolescentes entre a primeira e a segunda dose foram “ligeiros”, acrescentou.


“Estamos esperançados de que a vacina da Moderna contra a covid-19 se mostre altamente eficaz para prevenir a covid-19 nos adolescentes”, disse o patrão da Moderna, Stéphane Bancel, citado no comunicado.


A vacina foi “geralmente bem tolerada, sem preocupações de segurança identificadas até ao momento”, referiu a Moderna.


Os efeitos secundários observados foram semelhantes aos constatados nos adultos (dor ao ministrar a injeção, fadiga, dor de cabeça, dores musculares, arrepios).


A empresa “prevê igualmente pedir uma autorização de utilização de urgência à agência americana dos medicamentos (FDA) para alargar a autorização de utilização da vacina em adolescentes” nos Estados Unidos, indicou a Moderna.


Os adolescentes desenvolvem, em geral, formas menos graves de covid-19 do que as pessoas mais velhas, mas não estão isentos de contrair a infeção e de a transmitir na população.


É por isso que a imunização é necessária para parar a epidemia, segundo os especialistas.


A Moderna iniciou também em março testes da vacina em crianças dos seis aos 11 anos.


A vacina da Moderna, tal como a da Pfizer/BioNTech, usa a tecnologia genética ARN mensageiro (mARN).


A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 3.731.297 mortes no mundo, resultantes de mais de 173,2 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.



AH // JMR


Lusa/fim

Tags

Sem comentários

deixar um comentário