05 Dezembro 2022, 11:05

Covid-19: Mundo regista 11.780 mortes e 755 mil novas infeções nas últimas 24 horas

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Paris, 17 abr 2021 (Lusa) — A pandemia do novo coronavírus provocou a nível mundial 11.780 mortes e 755.701 novas infeções por SARS-CoV-2 nas últimas 24 horas, segundo o balanço de hoje da agência France-Presse (AFP).


Estes números são ligeiramente mais baixos do que os valores diários anunciados pela AFP no sábado (referentes a sexta-feira), dia em que se registaram 12.767 mortes e 829.597 novos casos por covid-19 em todo o mundo.


Desde que o SARS-CoV-2 foi identificado na China, em dezembro de 2019, a covid-19 já matou pelo menos 3.011.975 pessoas em todo o mundo.


Mais de 140.614.340 casos de infeção foram oficialmente diagnosticados no mundo.


Segundo o relatório da AFP, a grande maioria dos doentes recupera, mas há uma parte, o que ainda carece de uma maior investigação, que mantém os sintomas por semanas ou até meses.


A AFP informa que, nas últimas 24 horas, os países que registaram mais óbitos foram o Brasil com 2.929 mortes, a Índia (1.501) e os Estados Unidos (675).


Os Estados Unidos continuam a ser o país mais afetado mundialmente, tanto no número de mortos (566.904) como no de casos (31.628.017), de acordo com a contagem da Universidade norte-americana, Johns Hopkins.


Depois dos Estados Unidos, os países mais afetados são o Brasil com 371.678 óbitos e 13.900.091 casos, o México com 212.228 mortos (2.304.096 casos), a Índia com 177.150 óbitos (14.788.109 casos) e o Reino Unido com 127.260 mortos (4.385.938 casos).


Entre os países mais atingidos estão ainda a República Checa, que apresenta o maior número de mortes em relação à sua população, com 265 mortes por 100.000 habitantes, seguida da Hungria (259), Bósnia (237), Montenegro (227) e Bulgária (217).


A agência noticiosa francesa esclarece que estes números estão fundamentados nos balanços fornecidos diariamente pelas autoridades sanitárias de cada país e excluem as revisões realizadas posteriormente por organismos de estatística, como ocorre na Rússia, Espanha e no Reino Unido.


A Europa totalizava até às 10:00 TMG de hoje (11:00 em Lisboa) 1.022.833 mortes em 47.896.789 casos confirmados, a América Latina e as Caraíbas 861.937 mortes (27.121.846 casos) e os Estados Unidos e o Canadá 590.495 óbitos (32.741.924 casos).


A Ásia regista 296.136 mortes (21.143.343 casos), o Médio Oriente 121.916 mortes (7.248.009 casos), a África 117.638 óbitos (4.421.251 casos) e a Oceânia 1.020 mortes (41.187 casos).


Desde o início da pandemia, o número de testes realizados tem aumentado significativamente e as técnicas de rastreio melhoraram, levando a uma subida nas infeções declaradas.


O número de casos diagnosticados, no entanto, reflete apenas uma fração do total real de infeções, com uma proporção significativa dos casos menos graves ou assintomáticos a não serem ainda referenciados, adverte a AFP.


Este balanço foi realizado a partir de dados recolhidos pelas delegações da AFP junto das autoridades nacionais competentes e de informações da Organização Mundial da Saúde (OMS).


Devido a correções feitas pelas autoridades ou a notificações tardias, o aumento dos números diários pode não corresponder exatamente aos dados publicados no dia anterior, segundo referiu a AFP.


EYC // HB


Lusa/Fim.

Sem comentários

deixar um comentário