11 Agosto 2022, 19:17

Covid-19: Oitenta por cento das pessoas elegíveis para a 3.ª dose estão vacinadas

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Vila Nova de Gaia, Porto, 17 fev 2022 (Lusa) — O coordenador do plano de vacinação disse hoje que “80% das pessoas elegíveis” para a terceira dose da vacina contra a covid-19 estão vacinadas e apelou às faixas mais jovens para que se juntem ao processo.


“Vacinámos 80% das pessoas elegíveis. A grande maioria das pessoas que tem condições para ser vacinada, está vacinada”, disse o coronel Carlos Penha Gonçalves, em Vila Nova de Gaia, no distrito do Porto, numa visita ao centro de vacinação instalado no Quartel dos Bombeiros Voluntários de Coimbrões.


O responsável especificou que “mais de 5,7 milhões de pessoas [foi vacinada] com a terceira dose”, adiantando que “a esmagadora maioria das pessoas que tem mais de 18 anos e podia tomar, já tomou”, admitindo, no entanto, que “ainda há pessoas que não o fizeram”.


“Mas ainda há uma fração de pessoas que não veio ao processo e as instalações ainda vão estar cá. O apelo que faço é que as pessoas aproveitem estas estruturas para fazerem a vacinação e terminem o seu processo de reforço da vacina. O meu apelo é que o façam o mais rápido possível”, sublinhou.


Carlos Penha Gonçalves apontou que em Portugal a percentagem de pessoas com mais de 60 anos vacinadas é de 90%, enquanto na faixa dos 50 aos 59 anos é de 80%.


“Nas faixas mais novas temos menos cobertura”, realçou, em apelo aos mais jovens.


A covid-19 provocou pelo menos 5.836.026 mortos em todo o mundo desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.


Em Portugal, desde março de 2020, morreram 20.666 pessoas e foram contabilizados 3.131.899 casos de infeção, segundo a última atualização da Direção-Geral da Saúde.


A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China.


A variante Ómicron, que se dissemina e sofre mutações rapidamente, tornou-se dominante no mundo desde que foi detetada pela primeira vez, em novembro, na África do Sul.



PFT // SB


Lusa/Fim

Tags

Sem comentários

deixar um comentário