26 Novembro 2021, 23:43

Covid-19: PM de Cabo Verde agradece “rápida” resposta de Portugal na doação de vacinas

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Praia, 14 mai 2021 (Lusa) – O primeiro-ministro cabo-verdiano agradeceu hoje a Portugal a doação de 24.000 doses da vacina contra a covid-19, sublinhando a “rápida” resposta do Estado português ao pedido de Cabo Verde, face ao atual momento da pandemia.


“Testemunho, esta noite, no aeroporto Nelson Mandela [na Praia], a chegada de mais 24.000 doses de vacinas contra a covid-19, desta feita provenientes de Portugal. Reafirmo o nosso compromisso em atingir a meta que definimos, ate´ ao final deste ano, vacinar 70% da população cabo-verdiana”, afirmou Ulisses Correia e Silva, numa mensagem na rede social Facebook.


Cabo Verde recebeu 24.000 doses da vacina contra a covid-19 da AstraZeneca em 12 de março e 5.850 da Pfizer dois dias depois, no âmbito da iniciativa Covax, do plano de vacinação nacional iniciado em 19 de março.


Já esta noite, depois das 23:00 (mais duas horas em Lisboa), chegam ao aeroporto internacional da Praia 24.000 doses de vacinas cedidas por Portugal, anunciou hoje o Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE) português, em comunicado.


“Aproveito para agradecer ao Estado Português pela rápida e profícua resposta ao pedido de Cabo Verde, um compromisso aliás assumido por Portugal que se comprometeu em disponibilizar aos PALOP e Timor-Leste 5% de vacinas contra a Covid-19, que adquirisse”, disse ainda o chefe do Governo cabo-verdiano.


Cabo Verde regista 2.866 casos ativos de covid-19, com um acumulado de 27.672 infetados, 24.546 recuperações e 244 mortes por complicações associadas à doença desde 19 de março de 2020.


De acordo com o comunicado, as vacinas serão acompanhadas do material necessário para viabilizar a sua administração, como seringas e agulhas, numa ação que resulta “do esforço conjunto” do MNE, designadamente através do Camões – Instituto da Cooperação e da Língua e da embaixada de Portugal na Cidade da Praia, e do Ministério da Saúde, através da Direção-Geral da Saúde (DGS) e da Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde (Infarmed)”.


No final de abril, o ministro de Estado e Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, anunciou que Portugal ia antecipar o envio para Cabo Verde de vacinas contra a covid-19, face à situação da pandemia no arquipélago, com um recorde diário de novos casos em abril.


“O nosso compromisso político, que assumimos em fevereiro, de destinar pelo menos 5% das vacinas a que temos direito ao abrigo da contratação pública europeia, para os países lusófonos africanos e para Timor-Leste, começa a ser cumprido com a antecipação do calendário”, afirmou hoje à Lusa Santos Silva.


“Seguir-se-ão outras doações à medida que tivermos disponibilidade em função das nossas próprias compras e à medida que os países africanos de língua portuguesa forem identificando as suas necessidades mais prementes”, acrescentou o ministro.


Cabo Verde já vacinou cerca de 15.900 pessoas com pelo menos a primeira dose das vacinas da Pfizer e da AstraZeneca, dos quais 94% são profissionais de saúde, e esperava receber ainda este mês vacinas de Portugal, anunciou em 03 de maio o diretor nacional de Saúde, Jorge Noel Barreto.


O Governo assumiu a meta de imunizar 70% da população até final do ano.


O Presidente cabo-verdiano, Jorge Carlos Fonseca, disse hoje que prevê abordar as relações na área da Saúde, nomeadamente a vacinação contra a covid-19 em Cabo Verde, durante a receção, na segunda-feira, a Marcelo Rebelo de Sousa.


Numa nota divulgada pelo chefe de Estado, Jorge Carlos Fonseca disse que vai manter um encontro com o Presidente português, no Palácio Presidencial, na cidade da Praia, seguido de um almoço de trabalho, prevendo ainda falar sobre a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), cuja presidência rotativa Cabo Verde entrega a Angola em julho.


Marcelo Rebelo de Sousa realiza em 17 de maio uma visita de cerca de seis horas a Cabo Verde, mais curta do que o previsto inicialmente devido à situação epidemiológica da pandemia de covid-19 no arquipélago, embora prevendo ainda reuniões com o primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, e com o presidente da Assembleia Nacional, Jorge Santos.


Depois da Praia, Marcelo Rebelo de Sousa segue para a Guiné-Bissau, para uma visita oficial ao país.


A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 3.333.603 mortos no mundo, resultantes de mais de 160,3 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.



PVJ (MBA) // LFS


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário