14 Maio 2022, 14:11

Covid-19: Polícia detém manifestantes antes de protesto na capital do Canadá

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Otava, 30 abr 2022 (Lusa) — A polícia fez várias detenções na noite de sexta-feira entre manifestantes que se reuniram na capital do Canadá para um protesto, marcado para hoje, contra as restrições de combate à pandemia de covid-19.


Camionistas tentaram conduzir os veículos até à zona do parlamento canadiano, como parte do comício “Rolling Thunder”, organizado pelo Freedom Fighters Canada, um grupo que se opõe à política de saúde do governo do país.


A polícia de Otava tinha garantido na sexta-feira que não permitiria aos manifestantes ocupar a capital, tal como tinha acontecido durante 24 dias, em fevereiro.


Mais de 800 reforços policiais foram chamados a Otava para proteger os principais cruzamentos do centro da cidade, nomeadamente para impedir que os manifestantes trouxessem veículos.


No início da noite de sexta-feira, centenas de manifestantes reuniram-se do lado de fora do recinto do parlamento do Canadá, incluindo motoristas com os seus camiões.


A polícia, que usava capacetes e escudos, disse que emitiu 185 multas e rebocou 20 veículos.


O programa do comício de hoje prevê uma marcha pelo centro da cidade, com uma paragem no Memorial de Guerra e terminando num comício na zona do parlamento.


Os veículos envolvidos no comício não poderão entrar numa zona que inclui o monumento e o parlamento, segundo a polícia. Também não será permitido parar ao longo do percurso.


O grupo organizador do comício, Freedom Fighters Canada, garantiu que os manifestantes irão abandonar a capital no domingo e que não apoia “bloqueios, obstrução do cumprimento da missão da polícia, danos à propriedade ou mensagens de ódio e abuso verbal direcionadas aos moradores de Otava”.


Em fevereiro, o Canadá viveu três semanas de manifestações e bloqueios que paralisaram a capital e encerraram as fronteiras entre o Canadá e os Estados Unidos, causando danos económicos a ambos os países.


Os protestos levaram o Governo do primeiro-ministro canadiano, Justin Trudeau, a invocar poderes de emergência, pela primeira vez em tempo de paz. A polícia acabou por dispersar os manifestantes, fazendo dezenas de detenções.


A covid-19 causou mais de seis milhões de mortos em todo o mundo desde que a doença foi detetada, no final de 2019, em Wuhan, no centro da China.


A variante Ómicron, que se dissemina e sofre mutações rapidamente, tornou-se dominante no mundo desde que foi detetada pela primeira vez, em novembro, na África do Sul.



VQ // VQ


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário