04 Dezembro 2021, 05:57

Covid-19: Presidente da Câmara da Guarda pede fecho das escolas do concelho

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Guarda, 20 jan 2021 (Lusa) – O presidente da Câmara Municipal da Guarda, Carlos Chaves Monteiro, pediu hoje ao Governo que encerre “já” as escolas do concelho, atendendo ao “pico elevado de contágios” por covid-19.


Segundo o autarca social-democrata, no município da Guarda estão atualmente “doze turmas em isolamento profilático, de todos os níveis escolares, desde o 1.º ciclo do ensino básico ao secundário”, o que corresponde a mais de 200 alunos.


“As escolas ainda continuam abertas, porque ainda há alunos a receber aulas, embora uma parte deles esteja em isolamento profilático”, disse Carlos Chaves Monteiro à agência Lusa.


O autarca da Guarda apela ao Governo “que encerre já as escolas” porque o concelho assiste a “uma onda crescente de casos e de contágios” por covid-19.


“Essa é a solução mais adequada face à evolução da pandemia no concelho e no país”, acrescenta o responsável, que defende a suspensão imediata das atividades letivas e a “recalendarização do ano escolar”.


“O ano escolar termina em meados de junho mas, interrompendo já as aulas, quando a evolução fosse positiva, poderíamos retomá-lo e estendê-lo até ao dia 31 de julho”, sugere.


Carlos Chaves Monteiro considera que o Governo deve “interromper já, no imediato,” as atividades letivas nas escolas do concelho “para interromper os contágios” pelo novo coronavírus.


O município da Guarda também iniciou hoje testes à covid-19 “a todos os funcionários adstritos às escolas de 1.º Ciclo do Ensino Básico, Jardins-de-infância e Centros de Apoio à Família” do concelho.


“Ao todo, serão perto de duas centenas de funcionários que deverão ser testados durante os próximos dias, incluindo os 16 motoristas e os cinco vigilantes da Câmara que efetuam diariamente o transporte de crianças no concelho da Guarda”, refere a autarquia em comunicado.


A fonte refere que a ação é desenvolvida “no âmbito das medidas de prevenção e proteção da epidemia SARS-CoV-2 que o município da Guarda tem vindo a implementar desde o início da atual pandemia, para proteção dos mais frágeis, nomeadamente da comunidade escolar”.


“Consciente das dificuldades acarretadas pelos planos de contingência quer a nível individual quer a nível coletivo, a Câmara da Guarda quer continuar a estar na linha da frente na proteção na comunidade”, remata.


A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.058.226 mortos resultantes de mais de 96,1 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.


Em Portugal, morreram 9.465 pessoas dos 581.605 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.


A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.


 


ASR // JEF


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário