19 Outubro 2021, 18:14

Covid-19: Presidente do Brasil critica relator de investigação sobre a pandemia

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

São Paulo, 13 mai 2021 (Lusa) — O Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, criticou hoje o relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), que investiga as respostas do Governo à pandemia, referindo-se ao senador de forma ofensiva num evento na cidade de Maceió.


“Sempre tem algum ‘picareta’, ‘vagabundo’ querendo atrapalhar. Se Jesus tem o seu traidor, temos um ‘vagabundo’ inquirindo pessoas de bem no nosso país”, disse Bolsonaro, referindo-se ao modo como o seu filho, o senador Flávio Bolsonaro, classificou na véspera o relator da CPI e senador Renan Calheiros.


O Presidente brasileiro acrescentou: “É um crime o que vem acontecendo nessa CPI”.


Jair Bolsonaro, que tem sido muito criticado pelos senadores da oposição por alegadamente ter sido omisso nas respostas à emergência sanitária causada pela covid-19, também insinuou que Calheiros faz um espetáculo para o prejudicar.


“O recado que eu tenho para esse indivíduo: se quer fazer um ‘show’ para me derrubar, não fará. Somente Deus me tira daquela cadeira”, declarou Bolsonaro.


Na sessão de quarta-feira da CPI da covid-19, o ex-secretário de Comunicação Social da Presidência da República Fabio Wajngarten chegou a ser ameaçado de prisão, após os senadores avaliarem que entrou em contradição e que chegou a mentir durante o seu depoimento, mesmo tendo-se comprometido em dizer a verdade.


O senador Flávio Bolsonaro, filho do chefe de Estado, pediu a palavra na sessão da CPI e chamou o relator de “vagabundo” por ter defendido a prisão de Wajngarten.


“Imagina a situação: um cidadão honesto ser preso por um vagabundo como Renan Calheiros. Olha a desmoralização”, afirmou Flávio Bolsonaro, causando mal-estar na sala, com uma troca de ofensas e acusações.


Ao longo das suas declarações, Wajngarten admitiu que o Governo brasileiro ignorou por dois meses os contactos da farmacêutica Pfizer para venda de vacinas contra a covid-19, que já fez 15,3 milhões de casos e 428.034 mortos no Brasil.


A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 3.333.603 mortos no mundo, resultantes de mais de 160,3 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.


A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.



CYR // LFS


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário