19 Janeiro 2022, 20:00

Covid-19: Presidente do Brasil entrega teste negativo para entrar em tribunal

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

São Paulo, 15 dez 2021 (Lusa) – O Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, que se recusa a vacinar-se contra a covid-19, enviou hoje um teste negativo ao Supremo Tribunal Federal (STF) para poder assistir presencialmente à investidura de um novo membro do tribunal.


O STF informou o envio do exame na véspera da posse do advogado e pastor pentecostal André Mendonça, indicado por Jair Bolsonaro para ocupar uma vaga no tribunal que foi aberta devido à reforma do ex-juiz Marco Aurélio Mello.


Bolsonaro pretende estar presente na cerimónia, mas o STF alertou a Presidência que só poderia comparecer se apresentasse um atestado que comprove ter sido vacinado ou, na sua falta, um teste PCR com resultado negativo nesta semana, como exigido pelos regulamentos internos do tribunal.


Jair Bolsonaro, que publicamente minimiza a gravidade da pandemia desde o início, gaba-se de não se ter imunizado e também mantém uma campanha que questiona a eficácia das vacinas.


O Presidente brasileiro está a ser investigado pelo STF por conta de declarações contra a imunização e, especificamente, por ter declarado que as pessoas vacinadas têm maior risco de contrair sida.


A pandemia de covid-19 já matou mais de 617 mil brasileiros e provocou pelo menos 22,1 milhões de casos confirmados.


Apesar da campanha pessoal de Bolsonaro contra as vacinas, os brasileiros responderam positivamente ao plano de imunização e, segundo dados oficiais, 65% dos 212.000 milhões de cidadãos do país já foram totalmente imunizados.


A covid-19 provocou pelo menos 5.320.431 mortes em todo o mundo desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.


A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em vários países.


Uma nova variante, a Ómicron, classificada como “preocupante” pela Organização Mundial da Saúde (OMS), foi detetada na África Austral, mas desde que as autoridades sanitárias sul-africanas deram o alerta, a 24 de novembro, foram notificadas infeções em pelo menos 77 países de todos os continentes, incluindo Portugal.



CYR // LFS


Lusa/Fim


 


 

Sem comentários

deixar um comentário