26 Janeiro 2022, 21:21

Covid-19: Quase metade dos menores cabo-verdianos acima de 12 anos voltam hoje à escola vacinados

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Praia, 06 jan 2021 (Lusa) – Quase metade das crianças e adolescentes cabo-verdianos acima de 12 anos que regressam hoje às aulas já receberam a vacina contra a covid-19, mas o ministro da Educação aponta baixa taxa de adesão na ilha de Santiago.


“Precisamos que as crianças estejam vacinadas para podermos ter um ambiente seguro nas escolas”, disse o ministro da Educação de Cabo Verde, Amadeu Cruz, a propósito das condições reunidas para a retoma das aulas no segundo trimestre, que acontece hoje, após o período de férias do Natal.


Segundo o governante, globalmente, 47% das crianças e adolescentes (12 a 17 anos) já estão vacinados, processo que arrancou em 16 de dezembro. Contudo, Amadeu Cruz apontou que em vários concelhos da ilha de Santiago, incluindo na cidade da Praia, a capital, a adesão é ainda reduzida, dando como exemplo o município de Santa Catarina, que conta com uma taxa de vacinação de 12,6% nesta faixa etária, apelando à “mobilização” da sociedade local.


Segundo dados do Governo, em todo o arquipélago há cerca de 49 mil crianças, adolescentes e jovens nessa faixa etária que frequentam a escola. Contudo, ao todo, são cerca de 60 mil menores (12 a 17 anos) em todo o país e o Governo estabeleceu como meta imunizar até final de janeiro de 2022 pelo menos 70% do total com a vacina contra a covid-19, cujo intervalo entre a primeira e a segunda dose é de 21 dias.


Para a vacinação, é necessário que os pais e encarregados de educação autorizem que os seus filhos sejam vacinados, assinando um Termo de Consentimento a ser enviado através das escolas.


O novo ano letivo em Cabo Verde arrancou em 13 de setembro de 2021 com cerca de 130 mil crianças, adolescentes e jovens. Destes, cerca de 16.500 em jardins de infância, 83.500 no ensino básico obrigatório (do 1.º ao 8.º ano de escolaridade) e cerca de 30.000 no ensino secundário (do 9.º ao 12.º ano de escolaridade).


De acordo com o mais recente mesmo boletim epidemiológico, de quarta-feira, subiu para 355 o acumulado de óbitos por complicações associadas à covid-19 em Cabo Verde, que conta com um acumulado de 45.989 casos de infeção pelo novo coronavírus, SARS-CoV-2, desde 19 de março de 2020 (quando foi diagnosticado o primeiro infetado no arquipélago), distribuídos por todos os 22 municípios das nove ilhas habitadas.


O arquipélago regista 5.068 casos ativos de covid-19 e soma 40.539 casos considerados recuperados da doença, enquanto dois infetados estrangeiros foram transferidos para os países de origem.


A covid-19 provocou 5.456.207 mortes em todo o mundo desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.


A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em diversos países.


Uma nova variante, a Ómicron, considerada preocupante e muito contagiosa pela Organização Mundial da Saúde (OMS), foi detetada na África Austral, mas desde que as autoridades sanitárias sul-africanas deram o alerta, em 24 de novembro, foram notificadas infeções em pelo menos 110 países.



PVJ // VM


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário