19 Setembro 2021, 14:21

Covid-19: Reino Unido regista 18 mortes e mais de 5.000 casos em 24 horas

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Londres, 03 jun 2021 (Lusa) – O Reino Unido registou 18 mortes e 5.274 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas, de acordo com os últimos dados do Governo britânico, que hoje reconhece que a variante Delta é prevalecente.


Este é o número de casos num só dia mais elevado desde o final de março.


Na véspera tinham sido registadas 12 mortes e 4.330 novos casos.


Nos últimos sete dias, entre 28 de maio e 03 de junho, a média diária foi de oito mortes e 3.853 casos, o que corresponde a uma descida de 5,3% no número de mortes, mas uma subida de 38,9% no número de infeções relativamente aos sete dias anteriores.


A direção-geral de Saúde de Inglaterra (Public Health England) disse hoje que a variante B1.617.2, identificada pela primeira vez na Índia e denominada pela Organização Mundial de Saúde por variante Delta, superou a variante Alfa, a estirpe descoberta em Inglaterra no ano passado.


Dados preliminares sugerem que esta variante é mais transmissível e poderá causar mais complicações, embora os cientistas aguardem por mais informação.  


“Indícios iniciais sugerem que pode haver um risco agravado de hospitalização”, embora a maioria não estivesse vacinada, lê-se num documento da Public Health England.


Desde dezembro foram imunizadas 39.758.428 pessoas com uma primeira dose de uma vacina contra a covid-19, o que corresponde a 75,5% da população adulta.


A segunda dose já foi administrada a 26.422.303 pessoas, ou 50,2% da população adulta.


Desde o início da pandemia foram notificados 127.794 óbitos de covid-19 num total de 4.494.699 infeções confirmadas no Reino Unido.


A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 3.693.717 mortos no mundo, resultantes de mais de 171,5 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.


Em Portugal, morreram 17.029 pessoas dos 851.031 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.


A doença é transmitida pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.



BM // MLS


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário