20 Agosto 2022, 07:04

Covid-19: Serviço de Saúde da Madeira ativou plano de contingência em dois hospitais

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Funchal, Madeira, 11 dez 2020 (Lusa) — O plano de contingência devido à covid-19 foi hoje ativado nos hospitais do Marmeleiros e João de Almada, na Madeira, estando suspensas as visitas aos utentes nestas unidades, informou o Serviço Regional de Saúde (SESARAM).


“O SESARAM informa que no cumprimento do plano de contingência, a partir de hoje, e pelo período de 10 dias, estão suspensas as visitas no Hospital dos Marmeleiros e no Hospital João de Almada, decorrente da necessidade de rastreio aos profissionais e utentes destas duas unidades”, pode ler-se na nota distribuída na região.


A 06 de dezembro, no hospital dos Marmeleiros foi identificado um doente que testou positivo para a covid-19, tendo sido colocado em prática um plano de testagem “apertado” nesta unidade, para evitar propagação dos contágios, disse à Lusa fonte do SESARAM.


Segundo a mesma fonte, apesar de todos os cuidados, um outro doente, que inicialmente testou negativo nos Marmeleiros e foi transferido para o Hospital João de Almada, acabou, dias depois, por apresentar um resultado positivo, o que originou a ativação do plano de contingência nestas duas unidades.


No mesmo documento, este serviço refere que “também os familiares de referência serão testados para o SARS-CoV-2”, sublinhando ser este “um procedimento de segurança para utentes e profissionais”.


O SESARAM adianta que neste período de 10 dias “serão assegurados os contactos com os familiares dos utentes pelas equipas médicas e de enfermagem”, podendo ainda ser solicitadas informações através da Linha do Idoso (969 320 822 – das 09:00 às 21:00) no caso do Hospital dos Marmeleiros, situado na freguesia do Monte, nos arredores do Funchal.


Quanto ao Hospital João de Almada, que integra a rede de cuidados continuados, pode ser contactada a própria unidade, utilizando o número telefónico 291 780 300 entre as 09:00 e as 17:00.


O SESARAM anuncia também que a partir de 14 de dezembro “entra em vigor a normativa de visitas ao Hospital Nélio Mendonça”, no Funchal.


De acordo com este documento, apenas terá direito “a visita diária do familiar de referência aos doentes internados por um período superior a seis dias”, ficando estas interditas até ao sexto dia, inclusive.


Complementa que “constituem exceções”, vigorando “normas específicas propostas pelos diretores de serviço/enfermeiro gestores e validadas pelas direções técnicas”, as unidades de Medicina Intensiva, Cuidados Intensivos, Neutropénias, Cuidados Intermédios e Paliativos, Pediatria, Obstetrícia e doentes em cuidados de fim de vida.


O SESARAM aponta que os internados de longa duração, com alta clínica e os integrados na rede de cuidados continuados, em diferentes unidades da região, “passarão a ter apenas uma visita semanal do familiar de referência, com marcação prévia, em articulação com a equipa de enfermagem ou equipa responsável na unidade”.


No que diz respeito aos familiares de referência dos doentes agudos, terão de realizar teste de rastreio ao sexto dia de internamento do utente para poderem efetuar a primeira visita, repetindo o procedimento “semanalmente enquanto durar o internamento”.


Hoje o boletim epidemiológico divulgado pela Direção Regional de Saúde refere que foram notificados 19 novos casos positivos de covid-19 na Madeira, existindo 265 situações ativas, 14 das quais são doentes internados no hospital do Funchal, com quatro na unidade de cuidados intensivos.



AMB // MLS


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário