30 Julho 2021, 17:11

Covid-19: ‘Task force’ diz que 82% dos reclusos já estão vacinados

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Lisboa, 23 jul 2021 (Lusa) – Mais de 80% dos reclusos já estão vacinados contra a covid-19, anunciou hoje a ‘task force’, adiantando que estão a ser feitos esforços para inocular rapidamente os que faltam, em duas prisões onde o processo estava mais atrasado.


“Tirando alguns reclusos que já foram infetados e recuperados e têm cumprido as regras, já temos 82% de reclusos [vacinados]”, disse o coordenador da ‘task force’ para o plano de vacinação contra a covid-19 numa audição por videoconferência no parlamento a pedido do PSD.


Segundo o vice-almirante Gouveia e Melo, é uma “grande taxa de cobertura. Se descontarmos os recuperados e alguns casos em que não estão elegíveis para vacinação estaremos quase nos 100 por cento” de reclusos vacinados.


Henrique Gouveia e Melo adiantou que há dois estabelecimentos prisionais “mais atrasados”, mas que estão a ser feitos esforços no sentido de os reclusos “serem rapidamente inoculados também”.


Além da população prisional, o coordenador da ‘task force’ disse que há outros grupos que constituem uma preocupação, como os migrantes.


“Todos esses grupos mais desfavorecidos passam também a ser uma preocupação elevada para nós, não só porque ao serem desfavorecidos precisam da nossa proteção, mas porque também acabam por ser vítimas e são concentradores desses focos epidemiológicos que nós também devemos combater”, salientou.


Segundo o relatório semanal da vacinação divulgado pela DGS, 2.947.718 pessoas já têm a vacinação completa e 4.688.551 foram vacinadas com a primeira dose, o que equivale a 46% da população.


Nos últimos sete dias, foram administradas 720.121 vacinas contra o vírus SARS-CoV-2, adianta ainda o relatório.


No total, Portugal recebeu 8.604.606 vacinas contra a covid-19, tendo sido distribuídas pelos postos de vacinação e pelas regiões autónomas 7.566.600 doses.


Em Portugal, morreram 17.074 pessoas e foram confirmados 866.826 casos de infeção, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde. 



HN (PC) // JMR


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário