21 Outubro 2021, 03:31

Covid-19: UE com reunião de emergência na segunda-feira para discutir nova variante

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Bruxelas, 20 dez 2020 (Lusa) — Os Estados-membros da União Europeia (UE) vão reunir-se de emergência na segunda-feira de manhã para discutir a nova variante da covid-19 descoberta no Reino Unido, visando coordenar as respostas comunitárias, anunciou hoje o Conselho.


A informação foi avançada pelo porta-voz da presidência alemã da UE, Sebastian Fischer, que numa publicação na sua conta oficial da rede social Twitter indicou que a Alemanha “convidou os Estados-membros para uma reunião urgente do Mecanismo Integrado da UE de Resposta Política a Situações de Crise para amanhã [segunda-feira]” de manhã.


O Mecanismo Integrado da UE de Resposta Política a Situações de Crise (IPCR) foi ativado pela primeira vez no âmbito da pandemia de covid-19 em janeiro deste ano, ainda na então presidência croata da União, para os países partilharem informações entre si.


O IPCR é o quadro da UE para a coordenação de crises transfronteiriças ao mais alto nível político.


Segundo Sebastian Fischer, na ordem do dia da reunião de segunda-feira está a “coordenação das respostas da UE à recém identificada variante da covid-19 no Reino Unido”.


Para hoje, domingo, foi convocada uma reunião por videoconferência entre o gabinete do presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, e representantes dos Estados-membros sobre os últimos desenvolvimentos relacionados com a nova estirpe, informaram fontes europeias em Bruxelas.


As mesmas fontes precisaram que, na reunião realizada esta tarde por meios digitais, foram apontadas possíveis medidas a adotar por cada país da UE, como suspensão de viagens e a introdução da obrigatoriedade de realização de testes.


Estas matérias estarão em discussão na reunião de segunda-feira, adiantaram as fontes comunitárias.


Ainda hoje, a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, realizou uma chamada telefónica ao Presidente francês, Emmanuel Macron, e à chanceler alemã, Angela Merkel, para coordenar a resposta da UE à nova mutação.


As autoridades britânicas alertaram a Organização Mundial da Saúde sobre a descoberta da nova variante do SARS-CoV-2, que é mais facilmente transmissível, embora não haja provas de que seja mais letal ou que possa ter impacto na eficácia das vacinas desenvolvidas.


O Reino Unido está na lista dos 10 países mais afetados pela pandemia, ao somar mais de dois milhões de casos de infeção e 67.075 mortes.


A Holanda, a Bélgica, a Itália e a Alemanha já suspenderam ligações aéreas ou ferroviárias com o Reino Unido.


Em Portugal, fonte do gabinete do Ministério dos Negócios Estrangeiros português anunciou hoje que o país segue “com atenção” a evolução da situação epidemiológica no Reino Unido e está a privilegiar a “cooperação estreita” entre as autoridades de saúde dos dois países.


Também hoje, o Centro Europeu para Controlo e Prevenção de Doenças (ECDC) pediu aos países da UE que façam “esforços atempados” para controlar a nova variante do SARS-CoV-2 que apareceu no Reino Unido, até 70% mais contagiosa, nomeadamente durante o Natal.


“Dado que não existem atualmente provas que indiquem até que ponto a nova variante do vírus se está a propagar fora do Reino Unido, são necessários esforços atempados para prevenir e controlar a sua propagação”, exorta o ECDC, num relatório hoje publicado sobre o aumento rápido de casos no Reino Unido desta nova variante da covid-19.


E avisa que, “se o aumento das reuniões familiares e sociais que são tradicionais nesta altura do ano não for reduzido, […] e especialmente se as viagens não essenciais não forem reduzidas ou evitadas completamente, poderá eventualmente levar a que a variante substitua as variantes atualmente em circulação em grande parte da UE e Espaço Económico Europeu”.



ANE // EL


Lusa/fim

Sem comentários

deixar um comentário