14 Novembro 2022, 00:56

Covid:19: Cerca de 30 médicos e enfermeiros italianos dão ajuda na Eslovénia

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Zagreb, 18 nov 2017 (Lusa) — Cerca de 30 médicos e enfermeiros italianos ajudarão nas unidades de cuidados intensivos dos hospitais da Eslovénia, onde o número de pacientes graves com covid-19 aumentou 30% desde o início da semana e a situação é crítica.


A medida foi anunciada pelo ministro da Defesa esloveno, Matej Tonin, de acordo com o canal de televisão N1.


O ministro explicou que o país já estava a consultar há algum tempo instituições e países membros da União Europeia (UE) para recorrer à ajuda externa.


O exército esloveno também destacou 20 especialistas para hospitais do país esta semana.


Na semana passada, a obrigação de apresentar o certificado sanitário (que comprove a vacinação ou teste negativo ou já ter tido a doença) entrou em vigor em todas as instituições públicas e demais postos de trabalho na Eslovénia.


Hoje, o Governo esloveno deverá anunciar a introdução de novas medidas de combate à pandemia do SARS-CoV-2.


Os dados publicados hoje indicam que a incidência média nos últimos 14 dias é de 2.153 casos por 100.000 habitantes.


A covid-19 provocou pelo menos 5.122.675 mortes em todo o mundo, entre mais de 254,92 milhões de infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.


A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em vários países.



CSR // PAL


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário