08 Setembro 2022, 17:40

CP transportou 70 milhões de passageiros no 1º semestre e ultrapassou valores de 2019

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Redação, 18 ago 2022 (Lusa) — A CP – Comboios de Portugal transportou, no primeiro semestre deste ano, 70 milhões de passageiros, um crescimento de 77,5% face ao período homólogo, superando em 4,1% os valores obtidos em 2019, adiantou a operadora, em comunicado.


Assim, a empresa “registou, no primeiro semestre de 2022, um aumento da procura de 77,5%, quando comparado com o período homólogo de 2021, o que se traduz em cerca de 70 milhões de passageiros transportados”, referiu, indicando que “o aumento de procura é transversal a todos os serviços e é no serviço de Longo Curso que é mais acentuado, cerca de 140%, ou seja, mais 1,5 milhões de passageiros face ao primeiro semestre de 2021”.


Os comboios Regionais, por sua vez, fecharam o semestre “com uma variação positiva de 83,5%, o que corresponde a mais cerca de 2,3 milhões de passageiros transportados”, e os serviços urbanos registaram “também, um incremento na procura face ao primeiro semestre de 2021, tendo sido transportados 52 milhões de passageiros nos Comboios Urbanos de Lisboa (um aumento da procura em 74,2%), nos Comboios Urbanos do Porto 10 milhões de passageiros (mais 80,7%) e nos Comboios Urbanos de Coimbra um total de 415 mil passageiros (mais 68,8%)”, referiu a CP.


Neste contexto, “os proveitos de tráfego foram da ordem dos 110 milhões de euros, o que representou um aumento de 98% face a 2021”, referiu a CP, adiantando que, face ao primeiro semestre de 2019, ainda no período pré-pandemia, nos primeiros seis meses deste ano, “a CP transportou mais 4,1% de passageiros”, mas “os proveitos estão ainda 15% abaixo dos registados nessa altura”.


“A CP acolhe este incremento de procura pelos seus serviços de transporte com muita satisfação, considerando que os resultados alcançados se aproximam dos níveis registados em 2019, ano em que a CP transportou 145 milhões de passageiros”, concluiu a operadora.


 


ALYN // EA


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário