23 Maio 2022, 00:57

CPLP defende reforço de parcerias que permitam às mulheres usarem “enorme potencial”

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Lisboa, 09 mai 2022 (Lusa) – O secretário-executivo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) defendeu hoje o reforço de parcerias que permitam às mulheres dos Estados-membros usarem o seu “enorme potencial”, considerando o papel destas “crucial” para o sucesso da organização.


“O envolvimento das mulheres no processo de desenvolvimento sustentável da CPLP é verdadeiramente crucial para o sucesso da nossa comunidade”, afirmou o antigo ministro timorense Zacarias da Costa.


“E para que assim seja a CPLP deverá apostar no reforço das sinergias e do trabalho em rede, no âmbito da igualdade e equidade de género, formar, qualificar e capacitar as mulheres, robustecer o trabalho de sensibilização e de advocacia com base numa abordagem sensível ao género e, assim, contribuir para colmatar as profundas desigualdades ainda existentes”, acrescentou.


Zacarias da Costa falava na sessão de abertura de um debate subordinado ao tema “Promoção de Género para o Desenvolvimento Sustentável — Desafios e Oportunidades em Língua Portuguesa”, que se realizou hoje na sede da CPLP, em Lisboa, no âmbito das comemorações do Dia da Língua Portuguesa e da Cultura daquela comunidade.


Para o secretário-executivo da comunidade, a pandemia de covid-19 colocou “em evidência demonstrações de resiliência, que provam que investir no empoderamento das mulheres é investir numa das formas mais poderosas de quebrar a cadeia de desigualdade transmitida de geração em geração”.


Por isso, a CPLP deve continuar a trabalhar para garantir a proteção e a eficácia dos direitos das mulheres na comunidade, nomeadamente o direito à educação universal gratuita e de qualidade e o direito a um trabalho digno, defendeu.


Para impulsionar uma mudança transformadora neste setor a CPLP deve, no seu entender, “alargar o leque (…) de parcerias, identificar soluções inovadoras, que permitam às mulheres fazer uso do seu enorme potencial, para se tornarem líderes, empreendedoras e agentes de mudança para um desenvolvimento sustentável, resiliente e inclusivo”.


Zacarias da Costa reiterou ainda um apelo aos Estados-membros, observadores associados e consultivos e parceiros da organização.


“É meu desejo neste dia em que homenageamos o nosso dia da Língua Portuguesa que os Estados-membros, os observadores associados e consultivos, os amigos e os parceiros da CPLP possam reiterar os laços de amizade e solidariedade, bem como refletir em conjunto sobre a forma como podemos aprofundar a nossa concertação e cooperação e afirmar a CPLP e os seus valores na arena internacional”.


O debate contou ainda com as intervenções de Albertina Jordão, gestora de programas da Organização Internacional do Trabalho (OIT), Lisboa, de Rocio Cervera, diretora-executiva adjunta do Centro Norte-Sul do Conselho da Europa, de Ana Paula Laborinho, diretora do escritório de Lisboa da Organização dos Estados Ibero-americanos para a Educação, Ciência e Cultura (OEI) e com uma mensagem de Ana Carolina Querino, representante adjunta da ONU Mulheres Brasília.


No final do debate haverá um momento cultural, com declamação de Poesia, e será também inaugurada uma exposição com obras de pintura e escultura de artistas angolanos.


Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste são os nove Estados-membros da CPLP.



ATR // VM


Lusa/Fim

Tags

Sem comentários

deixar um comentário