04 Fevereiro 2023, 07:53

Crescimento económico em Cabo Verde acima de 8% em 2022 “quase uma certeza”

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Praia, 07 dez 2022 (Lusa) – O primeiro-ministro de Cabo Verde, Ulisses Correia e Silva, prometeu hoje no parlamento que é “quase uma certeza” que o arquipélago terá um crescimento económico superior a 8% do Produto Interno Bruto (PIB), que assim retomará a níveis anteriores à pandemia.


“Estamos quase no final do ano, temos quase a certeza de que o crescimento vai ser superior a 8%, quer através de dados do Banco de Cabo Verde, quer de instituições financeiras internacionais que trabalham com Cabo Verde”, afirmou o chefe do Governo, durante o debate mensal com o primeiro-ministro no parlamento, dedicado ao tema “O Setor Privado na estratégia de desenvolvimento sustentável de Cabo Verde”, proposto pelo executivo.


“Não são previsíveis à toa, são dados com sustentação”, retorquiu Ulisses Correia e Silva, ao ser criticado pela oposição sobre a realidade dos números apresentados pelo Governo, nomeadamente pela voz do presidente do Partido Africano da Independência de Cabo Verde, Rui Semedo, que visou “bazofaria” do executivo.


Cabo Verde enfrenta uma profunda crise económica e financeira, decorrente da forte quebra na procura turística – setor que garante 25% do PIB do arquipélago – desde março de 2020, devido à pandemia de covid-19.


Em 2020, registou uma recessão económica histórica, equivalente a 14,8% do PIB, seguindo-se um crescimento de 7% em 2021 impulsionado pela retoma da procura turística.


Para 2022, devido às consequências económicas da guerra na Ucrânia, nomeadamente a escalada de preços, o Governo cabo-verdiano baixou em junho a previsão de crescimento de 6% para 4%, que, entretanto, voltou a rever, agora para mais de 8%.


A confirmarem-se estas previsões, o PIB de Cabo Verde retomará em dois anos (2021 e 2022) o volume pré-pandemia de covid-19.


“Para 2023, as perspetivas macroeconómicas são menos favoráveis, devido aos efeitos do conflito e tensões geopolíticas na erosão do poder de compra decorrente da alta inflação, bem como à incerteza e perda de confiança dos agentes económicos, aliados ao aperto nas condições de financiamento nos principais mercados internacionais. Assim, prevê-se uma moderação do crescimento em torno dos 5%, estimando-se no entretanto que o PIB em valor retorne ao nível pré-pandémico até finais de 2022”, anunciou em 28 de outubro o governador do Banco de Cabo Verde, Óscar Santos.



PVJ // PJA


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário