30 Julho 2021, 18:23

CTT concluem recompra de ações próprias com 1,5 milhões de títulos e 1% do capital

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Redação, 23 jun 2021 (Lusa) — Os CTT concluíram o programa de recompra de ações próprias que lançaram em maio deste ano, tendo atingido 1% do capital e 1,5 milhões de títulos, segundo um comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).


De acordo com a mesma nota, “em 22 de junho de 2021, a sociedade detinha, como resultado das operações de aquisição aqui indicadas, um total acumulado de 1.500.001 ações próprias, representativas de 1,00% do capital social”.


Num relatório intercalar, a empresa já tinha dado conta de que em 18 de junho de 2021, detinha, “como resultado das operações de aquisição”, um “total acumulado de 1.344.297 ações próprias, representativas de 0,90% do capital social”.


“De acordo com os termos e condições do programa de recompra, os CTT informam que o objetivo do referido programa se encontra cumprido, devendo, assim, o Programa de Recompra dar-se por concluído na presente data, terminando antes do final do seu período máximo de duração (de 18 de maio a 18 de novembro de 2021)”, lê-se na mesma nota, hoje divulgada.


O Conselho de Administração dos CTT aprovou em 17 de maio o programa de recompra de ações próprias, sendo o montante pecuniário máximo de até 8,25 milhões de euros.


“[…] Na reunião do Conselho de Administração da sociedade realizada hoje [17 de maio], foi deliberado por unanimidade aprovar a implementação de um programa de recompra de ações próprias dos CTT”, lê-se no comunicado remetido à CMVM.  


A implementação deste programa, segundo o mesmo comunicado, vem na sequência da aprovação da proposta da Comissão de Vencimentos dos Correios da política de remuneração e do plano de atribuição de opções aos administradores executivos sobre ações representativas do capital social.


Por outro lado, tem em conta a intenção da Administração da empresa de pôr em prática um programa de atribuição de opções, sobre ações representativas do capital, destinado a quadros dirigentes dos CTT.


A previsão nessa altura era de que o programa de recompra durasse seis meses, “sem prejuízo de terminar em data anterior caso o número máximo de ações a adquirir ou o montante pecuniário máximo do programa sejam atingidos”.


O número máximo de ações ordinárias a adquirir, no âmbito deste programa, foi fixado em 1,5 milhões, que corresponde ao número de títulos necessários para fazer face à liquidação das opções atribuídas ao abrigo do plano da administração, “bem como das opções cuja atribuição ao abrigo do programa de quadros dirigentes está prevista pelo Conselho de Administração, sempre sujeita ao limite correspondente a 10% do capital social dos CTT, atualmente correspondente a 15 milhões de ações ordinárias da sociedade”.


A contrapartida mínima e máxima, por seu turno, situa-se no intervalo de 10% relativamente à cotação das ações da sociedade no mercado no fecho da sessão “imediatamente anterior” à data de compra ou à constituição do direito de aquisição ou de atribuição de ações.


Adicionalmente, não deverá ser superior “ao mais elevado de entre o da última operação independente e o da oferta independente de maior montante ao tempo da aquisição no mercado regulamentado Euronext Lisbon”.


 


ALYN (PE) // EA


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário