18 Janeiro 2022, 07:53

Dakar2022: Portugueses ganham posições na geral após nona etapa

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Vários dos portugueses presentes na 44.ª edição do rali Dakar de todo-o-terreno subiram hoje posições na geral após a disputa da nona etapa, em redor de Wadi Ad-Dawasir, na Arábia Saudita.

Joaquim Rodrigues Jr. (Hero) terminou o dia na 11.ª posição na competição das motas, a 6.43 minutos do vencedor, o chileno José Ignacio Cornejo (Honda), e subiu a 15.º da geral, a 58.57 do novo líder, o austríaco Mathias Walkner (KTM).

“Hoje foi uma especial com muitos desfiladeiros e pedras, mas, ainda assim, rápida. Não me senti muito confortável e não rodei muito depressa. Ainda assim consegui terminar a etapa e espero continuar com o bom desempenho até final”, disse o piloto natural de Barcelos.

Walkner destronou o britânico Sam Sunderlad (GasGas), que hoje tinha de abrir a pista e não foi além do 13.º melhor tempo do dia.

O argentino Kevin Benavides (KTM) foi segundo, a 1.26 de Cornejo, com o norte-americano Ricky Brabec (Honda) em terceiro, a 1.47.

Na geral, Sunderland caiu para segundo, a 2.12 de Walkner, com o francês Adrien van Beveren (Yamaha) em terceiro, a 3.56.

Rui Gonçalves fechou o dia na 15.ª posição, a 8.31 minutos do vencedor, e subiu ao 25.º lugar, a 2:29.31 horas do líder.

“Senti-me bem durante todo o dia e também com o ritmo que adotei. Andei praticamente sozinho durante a especial. Foi igualmente um dia onde não fizemos quaisquer erros em termos de navegação, o que é bastante positivo”, comentou o piloto de Vidago, que está imediatamente atrás de António Maio (Yamaha), que hoje foi 21.º.

O piloto da Yamaha subiu, assim, ao 24.º lugar.

“Correu tudo bem hoje. Não tive problemas com a navegação e a mota está impecável. Estamos preparados para atacar esta reta final do Dakar que se prevê bastante difícil. Estamos na entrada do top-20 e amanhã [quarta-feira] temos uma etapa mais comprida onde vou lutar por um bom lugar na geral”, prometeu o alentejano.

Mário Patrão (KTM) foi 36.º, Alexandre Azinhais (KTM) foi 71.º, Arcélio Couto (Honda) foi 94.º, Pedro Bianchi Prata (Honda) 109.º e Paulo Oliveira (KTM) 110.º.

Na geral, Patrão é 47.º, Alexandre Azinhais subiu a 67.º, Arcélio Couto ganhou um lugar e é 80.º, Bianchi Prata ascendeu duas posições, para 98.º e Paulo Oliveira é 102.º.

Nos automóveis, o sul-africano Giniel de Villiers (Toyota) bateu o seu compatriota e companheiro de equipa Henk Lategan (Toyota) por apenas nove segundos, enquanto o qatari Nasser Al-Attiyah (Toyota) foi terceiro, a 1.04 minutos e cimentou a liderança da prova.

O francês Sébastien Loeb (BRX), segundo da classificação geral, hoje foi apenas quinto classificado, cedendo 1.07 minutos para Al-Attiyah.

Miguel Barbosa (Toyota) ficou preso numa zona de dunas e foi apenas 57.º classificado na etapa de hoje.

“A primeira parte correu bem. Até ao reabastecimento, instalado no quilómetro 140, correu tudo bem. Até aí fizemos algumas ultrapassagens, apanhámos algum pó, mas sem quaisquer problemas. Entretanto, furámos logo ao início da segunda parte e, mais tarde, perto do quilómetro 212, acabámos por cair num buraco nas dunas. Foi uma situação complicada e demorou a sair dali”, explicou.

Com estes contratempos, está no 37.º lugar, a 11:18.07 horas do líder, Nasser Al-Attiyah.

O piloto do Qatar tem, agora, 39.05 minutos de vantagem sobre Loeb e 58.44 sobre o saudita YAzeed Al Rajhi (Toyota), que é terceiro.

Nos veículos ligeiros, o norte-americano Seth Quintero (OT3) venceu mais uma etapa, a oitava em nove disputadas, e está mais perto de conseguir o recorde de 11 triunfos numa só edição.

Mário Franco (Yamaha) foi 13.º e subiu a 10.º da geral, a 7:31.16 do comandante, o chileno Francisco Lopez (Can-Am).

Nos SSV, Luís Portela de Morais (Can-Am) foi 11.º, a 13.34 minutos do vencedor, o polaco Marek Goczal (Can-Am).

“Não era uma etapa ao nosso gosto porque era bastante rápida e só no final tivemos algumas dunas. No entanto, correu bem e conseguimos subir para o sétimo lugar da geral o que é positivo. Estamos contentes por estarmos no final de mais uma jornada, mas ainda falta muito Dakar e o objetivo continua a ser chegar ao fim sem problemas”, afirmou Luís Portela Morais.

O piloto português está na sétima posição, a 3:02.20 horas do líder, o norte-americano Austin Jones (Can-Am).

Quarta-feira disputa-se a 10.ª etapa, entre Wadi Ad-Dawasir e Bisha, com 374 quilómetros cronometrados.

 

Sem comentários

deixar um comentário