07 Dezembro 2022, 20:38

Delegados do congresso da Fretilin têm “liberdade total” para apresentar listas – presidente

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Díli, 08 set 2022 (Lusa) — O presidente da Fretilin disse hoje que os delegados do V Congresso Nacional, que começou em Díli, têm “total liberdade” para preparar listas de candidatos à liderança máxima do maior partido de Timor-Leste.


“Vamos eleger o presidente e secretário-geral para o mandato 2023 a 2028. Os delegados têm toda a liberdade para apresentar qualquer pacote de candidatos aos dois cargos, como é tradição”, disse Francisco Guterres Lú-Olo, na abertura da reunião magna do partido, a maior força parlamentar atual.


“Além disso, o Congresso vai eleger os órgãos centrais do partido para os próximos cinco anos”, recordou.


A eleição da liderança, prevista para hoje, é um dos pontos que está a suscitar mais debate e atenção em torno do Congresso, que decorre até sábado no Centro de Convenções de Díli.


Já confirmada está a recandidatura dos atuais líderes, Lú-Olo e o secretário-geral, Mari Alkatiri – com apoiantes a garantirem contar com o apoio da maioria – estando ainda em dúvida a apresentação de pelo menos outra lista, da qual poderá fazer parte o ex-primeiro-ministro Rui Araújo como candidato a secretário-geral.


Araújo disse à Lusa que está disponível para se apresentar numa lista em que o candidato a presidente poderia ser quer o ex-comandante das forças armadas Lere Anan Timur quer o deputado José Somotxo.


“Ambos, como eu, estamos disponíveis, mas dependerá da dinâmica do Congresso”, disse Araújo à Lusa. “Estou tranquilo. É um congresso que vai melhorar a dinâmica interna do Partido e preparar melhor para assumir as responsabilidades do futuro”, afirmou.


Rui Araújo disse estar confiante que conseguirá reunir o apoio de pelo menos 20% dos mais de 900 delegados para se poder apresentar.


“A intenção de me apresentar aos eleitores, neste caso os congressistas, não foi retirada desde que a apresentei ao público, em 2020”, explicou.


A agenda prevê que a votação para a eleição dos novos líderes máximos decorra ainda hoje, na reta final do primeiro dia do Congresso, que na sexta-feira elege os membros dos órgãos centrais da Fretilin — Comissão Nacional de Jurisdição (CNJ), e Comité Central (CCF).


Na sexta-feira está ainda prevista a apresentação de propostas de revisão dos estatutos, ficando para o último dia a aprovação de várias resoluções cujo conteúdo ainda não é conhecido.


Hoje, e antes de iniciar os trabalhos à porta fechada, o Congresso começou com a presença de vários convidados especiais, incluindo os líderes dos dois partidos que, com a Fretilin, fazem parte do atual Governo, o primeiro-ministro Taur Matan Ruak (PLP) e José Naimori (KHUNTO).


Presentes na sala, além de representantes do corpo diplomático, estavam ainda líderes de outras forças políticas, como Mariano Sabino, do PD.


Francisco Guterres Lú-Olo destacou vários aspetos da história do partido ao longo da luta pela independência de Timor-Leste e, posteriormente, desde a restauração da independência em 2022, incluindo a decisão de viabilizar o atual Governo, liderado por Taur Matan Ruak.


Um discurso em que se referiu, por várias vezes, a Lere Anan Timur — nomeadamente recordando que chegou a fazer parte do Comité Central da Fretilin, no passado -, menções que suscitaram sempre aplausos na sala.


Lú-Olo referiu-se ainda aos valores e princípios da Fretilin e o papel que teve, ao longo da história, na defesa da independência e do Estado.


“A Fretilin teve um passado histórico, de grande sacrifício. A Fretilin enfrentou grandes desafios e dificuldades, mas continua a lutar. Recebemos um grande legado dos heróis e mártires para libertar o povo”, afirmou.


“A Fretilin é património histórico que hoje devemos valorizar, respeitando os princípios e valores”, sublinhou Lú-Olo.


 


ASP // VQ


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário