18 Outubro 2021, 13:59

Depósitos das empresas atingem novo máximo histórico de 58,8 mil ME em agosto

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Redação, 27 set 2021 (Lusa) — Os depósitos das empresas nos bancos residentes aumentaram 16,3% em agosto face ao mesmo mês de 2020, atingindo um novo máximo histórico de 58,8 mil milhões de euros, divulgou hoje o Banco de Portugal (BdP).


“Desde maio de 2020 que o montante de depósitos que as empresas detêm nos bancos residentes em Portugal tem crescido acima dos 14%”, refere o BdP, precisando que, “em agosto de 2021, estes depósitos cresceram 16,3% em relação a agosto de 2020, para 58,8 mil milhões de euros (tinham crescido 14,8% no mês anterior), atingindo um novo máximo histórico”.


No que se refere aos depósitos de particulares em bancos residentes, que em julho tinham atingido o valor recorde de 169,9 mil milhões de euros, cresceram 7,1% em agosto, em termos homólogos, somando 169,3 mil milhões de euros (tinham crescido 6,6% no mês anterior).


Segundo nota o BdP, “desde março de 2020 as famílias têm reforçado os seus depósitos junto da banca”, apresentando este crescimento “uma tendência e valores próximos dos da área do euro”.


No que se refere ao montante total de empréstimos concedidos aos particulares para habitação, cresceu 4% em relação a agosto de 2020, para 95,6 mil milhões de euros, após ter aumentado 3,9% no mês anterior.


Os empréstimos ao consumo cresceram 1,3% em relação a agosto de 2020, fixando-se em 19 mil milhões de euros (tinham crescido 1,6% no mês anterior).


Relativamente às empresas, o montante total de empréstimos concedidos em agosto de 2021 cresceu 5,2% em relação a agosto de 2020, para 76,2 mil milhões de euros, desacelerando ligeiramente face ao aumento de 5,9% no mês anterior.


“Contrariando a evolução verificada em 2020 e no início de 2021, em grande parte relacionada com o impacto das linhas de apoio à economia concedidas no contexto da pandemia, o ritmo de crescimento dos empréstimos às empresas voltou a diminuir pelo quarto mês consecutivo”, refere o banco central.


“Ainda assim — acrescenta — os empréstimos às empresas têm aumentado a um ritmo superior ao observado na área do euro”.


Em agosto, a redução do ritmo de crescimento dos empréstimos às empresas “foi transversal a todas as classes de dimensão”.



PD // CSJ


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário