18 Janeiro 2022, 07:47

Deputados de Macau preocupados com crise no Suncity e nas salas de jogo VIP

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Macau, China, 16 dez 2021 (Lusa) – A crise do grupo Suncity em Macau, que se alastrou a outros operadores de salas de jogo VIP, foi o tema principal hoje na Assembleia Legislativa, com vários deputados a mostrarem preocupação com os trabalhadores desempregos destas empresas.


“Paira a incerteza em relação ao andamento destes casos envolvendo promotores de jogo, portanto, muitos trabalhadores do setor estão preocupados e inquietos com a possibilidade de ficarem no desemprego”, afirmou o deputado, que questionou ainda o Governo sobre se os negócios do grupo Suncity vão ser afetados.


Na sexta-feira, o Suncity informou ter terminado as suas operações relacionadas com os ‘junkets’, já depois de em 30 de novembro ter anunciado o encerramento das salas de jogo VIP em Macau do grupo, presente em mais de 40% dos casinos do território, na sequência das autoridades de Macau terem determinado a prisão preventiva do diretor executivo, Alvin Chau.


A partir deste momento tem reinado a insegurança nos trabalhadores das Salas VIP, existindo já relatados nos órgãos de comunicação social relativamente ao fecho de mais salas de outros operadores ‘junkets’.


A somar a isto, junta-se a instabilidade nos operadores da capital mundial do jogo, fruto do pouco turismo devido à pandemia, da indecisão sobre as novas licenças a serem atribuídas em junho de 2022.


“Recentemente, devido ao fim do vínculo entre algumas concessionárias e os promotores do jogo, muitas salas VIP têm de encerrar durante este mês. Além de afetar os promotores, o encerramento ou fim de atividade destas salas vai agravar a situação do emprego, e originar problemas sociais, pois as mesmas assumem um peso significativo nesta indústria e empregam milhares de trabalhadores”, afirmou, por outro lado, o deputado Leong Sun Iok.


Já o deputado José Pereira Coutinho, o único português na AL de Macau, evidenciou que os casinos sempre foram o pilar da economia do território e “os trabalhadores quer sejam os da limpeza, motoristas, relações-públicas, pessoal do escritório etc., contribuíram enormemente para o desenvolvimento ‘desenfreado’ desta indústria”.


Por essa razão, pediu mais responsabilidade tanto ao Governo, como às concessionárias do jogo.


“Não devemos esquecer, que em termos legais, as Salas VIP como a Suncity e todas outras só podem funcionar com o consentimento das concessionárias do jogo. E estas nunca podem demitir-se das suas responsabilidades de tudo o que acontece dentro nas Salas VIP”, disse.


Em resposta, o secretário para a Economia e Finanças do território disse que “o Gabinete de Assuntos Laborais e os intermediários têm estado em contacto constante com os ‘junkets'”.


“Até agora, um total de 318 empregados contactou a Direção dos Serviços para os Assuntos Laborais para obter ajuda, e nós ajudámo-los com os procedimentos relevantes e pedidos de subsídio de desemprego”, adiantou Lei Wai Nong.



MIM // VM


Lusa/Fim

Tags

Sem comentários

deixar um comentário