27 Setembro 2021, 23:56

Desarmamento de ex-guerrilheiros avança no centro de Moçambique – PR

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Chimoio, Moçambique, 04 jun 2021 (Lusa) – O Presidente moçambicano, Filipe Nyusi, anunciou hoje que o processo de desarmamento de ex-guerrilheiros no centro do país vai avançar este mês para as bases da província de Tete, interior centro.


O processo de Desarmamento, Desmobilização e Reintegração (DDR) “está ligeiramente paralisado por razões que explicámos noutras ocasiões: covid e a mobilização de recursos”, explicou.


“Mas esperamos ainda dentro deste mês retomar [a desmobilização] nas bases da Resistência Nacional Moçambicana (Renamo) na província de Tete”, avançou Filipe Nyusi.


O chefe de Estado falava durante uma deslocação à província de Manica onde inaugurou o Centro de Recursos de Chimoio do Instituto Superior de Ciências e Ensino à Distância (ISCED).


O DDR faz parte do acordo de paz assinado em 2019 por Filipe Nyusi e Ossufo Momade, presidente da Renamo, principal partido da oposição.


Apoiado financeiramente pela comunidade internacional, o processo já abrangeu quase metade dos cerca de 5.200 elementos do braço armado da oposição.


No entanto, uma dissidência mantém-se ativa nas matas do centro da país e Nyusi voltou hoje a apelar à entrega das armas por parte de Mariano Nhongo e dos seus homens.


O chefe de Estado fez uma intervenção para “exortar o cidadão Mariano Nhongo, com os poucos compatriotas com quem ficou, que dão essa volta [incursões armadas] em Sussundenga e Gorongosa, para voltar ao convívio” do resto da população. 


Filipe Nyusi salientou que os guerrilheiros ainda entrincheirados nas matas precisam de “beneficiar do desenvolvimento” do país. 


AYAC // RBF


Lusa/Fim  

Sem comentários

deixar um comentário