19 Outubro 2021, 19:48

Deslizamento de terras na Noruega vai custar pelo menos 86 milhões de euros

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Oslo, 07 jan 2020 (Lusa) — O deslizamento de terras que arrastou casas numa zona residencial a norte da capital norueguesa vai custar pelo menos 900 milhões de coroas (86 milhões de euros) às companhias de seguros, estimou hoje um organismo financeiro.


Sete pessoas morreram e três continuam desaparecidas após o deslizamento de terras em Ask, uma povoação de 5.000 pessoas localizada 25 quilómetros a oeste de Oslo, ocorrido em 30 de dezembro. Foi um dos piores acidentes na história moderna do país escandinavo.


A Finance Norway, que representa 240 companhias financeiras, disse tratar-se de uma estimativa preliminar.


“Os cálculos das compensações serão atualizados quando soubermos mais sobre a extensão dos prejuízos”, disse a porta-voz Stine Neverdal.


A mesma responsável disse que muitas casas foram danificadas ou destruídas, mas ainda não foi esclarecido quais as zonas atingidas pelo deslizamento que vão ser declaradas inabitáveis pelo município.


Na terça-feira, as autoridades norueguesas admitiram que já não existe esperança de encontrar sobreviventes.


A causa exata do deslizamento ainda não é conhecida, mas pode ter acontecido devido à natureza do solo que, combinado com precipitação excessiva e clima húmido no inverno, pode ter contribuído para o desastre.


Em 2005, as autoridades norueguesas alertaram as pessoas para não construírem edifícios residenciais na área de Ask, dizendo que era uma “zona de alto risco” para deslizamentos de terra, mas as casas foram eventualmente construídas no final da década.


Um deslizamento de terras no centro da Noruega, em 1863, matou 116 pessoas.


Esse acidente terá sido 40 vezes mais grave do que o que aconteceu em Ask, com entre 1,4 e 2 milhões de metros cúbicos de terra arrastada.



PCR (AXYG) // FPA


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário