19 Junho 2021, 05:16

«Divertir com Saber», um projeto educativo e de afetos

«Divertir com Saber» é o nome do projeto, da responsabilidade da empresa municipal Gaiurb, que ensina Matemática e Xadrez a cerca de 160 crianças de vários empreendimentos sociais do concelho. Os responsáveis pelo programa, implementado há já 15 anos, garantem que já mudaram a vida de muitas crianças e jovens a quem ensinam “com amor”.

São 10 professores do ensino básico e quatro monitores de xadrez que, todos os sábados, durante duas horas e meia, em 17 empreendimentos sociais do concelho de Gaia, recebem crianças e jovens – desde o pré-escolar ao 3.º ciclo – naquele que é muito mais do que um projeto educativo.

PUB – CONTINUE A LER A SEGUIR



«Divertir com Saber» nasceu há 15 anos fruto de um diagnóstico feito, em 2011, que tinha como objetivo perceber as principais dificuldades por parte das famílias que ali residiam.

“Foi feito um levantamento social e nesse documento percebemos que era comum a todas as famílias as dificuldades no acompanhamento escolar. São famílias sem possibilidades financeiras para colocar os filhos em salas de estudo ou explicadores privados”, começa por recordar, ao Mundo Atual, Catarina Ciríaco.

A responsável e coordenadora do programa revela que, a partir daí, surgiu a ideia de arrancar com o projeto que é, a cada ano letivo, divulgado nos empreendimentos sociais para que as crianças se possam inscrever.

Assim, de outubro a junho, todos os sábados, a partir das 9h00, a sala recebe turmas com “oito a dez crianças e jovens” que acabam também por ser acompanhadas “noutras matérias”, mas cujo foco é a Matemática e o Xadrez.

“Conseguimos ver o impacto na vida das crianças e na melhoria do aproveitamento escolar”, frisa Catarina Ciríaco, sublinhando ainda que a mais recente «disciplina» é a “Educação Financeira”.

“Eles não têm muita noção do valor do dinheiro. E trabalhamos isso também para que saibam o que é essencial e o que é supérfluo”, indica.

Dessa forma, o projeto “acaba também por se alargar às famílias dos alunos”.

O talento escondido de 5 alunos já federados

A coordenadora, psicóloga de formação, recorda ainda a importância do Xadrez, “um jogo de tabuleiro que tem acontece o mesmo. E para além disso, acabamos por encontrar crianças com talento que estava escondido”, adianta, acrescentando que são já 5 os atletas federados a competir.

Catarina Ciríaco não tem dúvidas que o sucesso do projeto assenta em dois pilares, “a equipa, e o acompanhamento que é feito, e a forma como ensinamos”.

“As crianças não fogem da aprendizagem… Elas gostam de aprender. Acredito que o que nos distingue é a forma como as ensinamos. Porque este é um projeto de afetos”, resume.

“Se ensinas com amor, eles aprendem”, conclui.

Parceria com óptica para ajudar os mais carenciados

O «Divertir com Saber» não é apenas um projeto fechado nos gabinetes de Ação Social dos empreendimentos onde decorrem as aulas e a prova disso é a constante preocupação de toda a equipa com os alunos.

Assim, tendo em conta as dificuldades que muitas das famílias das crianças e jovens enfrentam, foi estabelecida uma parceria com um Grupo de Óticas garantindo assim que caso existam necessidades visuais estas sejam suprimidas.

“Outra das problemáticas frequentes era o problema de visão que notávamos nalgumas das crianças. Portanto, e sob o lema de «Ver bem para aprender melhor», conseguimos essa parceria e garantimos que ninguém fica sem óculos caso precise deles. Há consultas e óculos gratuitos”, explica ainda Catarina Ciríaco.

“Futuro? Ser ainda mais abrangente”

“Um orgulho imenso”. É com este sentimento que também a coordenadora da Unidade de Ação Social da Gaiurb olha para o projeto que “tem criado fortes raízes” e que se tornou já numa “parte da nossa atividade social”.

“Porque não estamos só com estas crianças e jovens, mas também com as famílias, com a comunidade educativa e com toda a comunidade em geral”, sustenta, ao Mundo Atual.

Joana Azevedo admite, por isso, que no futuro o «Divertir com Saber» possa tornar-se mais abrangente e receber crianças e jovens fora do âmbito dos empreendimentos sociais.

“Temos recebido contactos por parte das escolas e gostávamos de ser mais abrangentes, alargando a toda a comunidade”, sublinha.

Mas, para já, o objetivo é claro: “Continuar a ser uma mais valia para todos aqueles que integram o projeto”.

António Miguel Castro – Presidente da Gaiurb

“Mudar o rumo da agulha”

O presidente da Gaiurb começa por revelar ao Mundo Atual o “enorme orgulho” que sentiu quando visitou um dos espaços que acolhem o projeto porque conseguiu “sentir o brilho nos olhos dos jovens” que frequentam as aulas.

António Miguel Castro explica que o projeto “vem na linha do modelo que implementamos nos empreendimentos sociais e que não é apenas uma resposta física, mas também imaterial”.

“O que fazemos é ajudar a capacitar os jovens e percebemos que estamos a mudar o rumo da agulha em alguns casos”, defende.

O responsável sublinha ainda que em ambas as «disciplinas», a matemática e o xadrez, o objetivo passa também por “estimular a capacidade neurológica” e que os jovens acabam por adquirir um “maior exercício mental”.

António Miguel Castro não descarta a possibilidade de alargar ainda mais o projeto para dar “resposta às necessidades dos jovens e das famílias” e avança mesmo com a possibilidade de ser criado um “pequeno clube de xadrez” para que a competição passa a ser uma rotina.

“Todo o investimento que é feito nas pessoas, na sua capacitação e na abertura de portas, é para nós o investimento certo”, defende, acrescentando: “Por isso, vamos continuar a apoiar e dar todas as condições para que este projeto ganhe ainda mais relevância”.

Tags

Sem comentários

deixar um comentário