17 Outubro 2021, 17:30

Doenças relacionadas ao tabagismo matam mais de um milhão por ano na China

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Pequim, 26 mai 2021 (Lusa) – Mais de um milhão de pessoas morrem todos os anos na China de doenças relacionadas com o tabagismo, segundo um estudo publicado hoje pela Comissão Nacional de Saúde do país e pela Organização Mundial da Saúde (OMS).


A pesquisa, publicada na página do escritório da OMS na China, indicou que existem mais de 300 milhões de fumadores ativos no país asiático e que 26,6% das pessoas com mais de 15 anos fumam.


O estudo prevê que, a partir de 2030, dois milhões de pessoas vão morrer todos os anos na China devido ao consumo de tabaco e que esse número chegará a três milhões em 2050.


A OMS concentrou-se na “relação entre tabagismo e doenças respiratórias crónicas, tumores malignos, doenças cardiovasculares e diabetes”.


As doenças crónicas representam 88% de todas as mortes no país, apontou o estudo.


“O número total de fumadores que adoecerão ou morrerão na China devido ao fumo vai aumentar nos próximos anos, apesar das medidas tomadas a esse respeito a nível nacional”, disse o especialista Chen De, citado pelo jornal oficial Global Times.


Nos últimos anos, muitas cidades proibiram o fumo em ambientes fechados, aos quais mais campanhas de prevenção serão adicionadas no futuro, especialmente entre os jovens, apontou Chen.


O escritório da OMS observou que “para reduzir as taxas de tabagismo na China, são necessários esforços conjuntos do Governo e da sociedade para criar ambientes livres de fumo que incentivem os fumadores a parar”.


O estudo apontou ainda que “existem já muitas evidências de que os cigarros eletrónicos não são seguros”, pelo que o “seu consumo também representa um risco para a saúde”.


Em 2017, a cidade de Xangai promulgou uma lei que proíbe os seus habitantes de fumar em espaços públicos ou áreas de lazer, juntando-se assim à capital, Pequim, e Shenzhen, no sul.


No entanto, fumar ainda é considerado um ato social enraizado na cultura chinesa, e em muitas cidades chinesas ainda é comum ver residentes a acender cigarros em bares, restaurantes, escritórios e outras áreas fechadas.



JPI // ANP


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário