17 Agosto 2022, 05:55

Duplantis supera os 6,16 metros na vara, melhor marca de sempre ao ar livre

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Agora que chegou aqui…

Ao longo do último ano, o MUNDO ATUAL tem conquistado cada vez mais leitores.
Nunca quisemos limitar o acesso aos nossos conteúdos, ao contrário do que fazem outros órgãos de comunicação, e mantivemos sempre todas as notícias, reportagens e entrevistas abertas para que todos as pudessem ler.
Mas precisamos do seu apoio. Para que possamos, diariamente, continuar a oferecer-lhe a melhor informação, não só nacional como local, assim como para podermos fazer mais reportagens e entrevistas do seu interesse.
O MUNDO ATUAL é um órgão de comunicação social independente e isento. E acreditamos que para que possamos continuar o nosso caminho, que tem sido de sucesso e de reconhecimento, é importante que nos possa ajudar neste caminho que iniciámos há um ano.
Desta forma, por tão pouco, com apenas 1€, pode apoiar o MUNDO ATUAL.

Obrigado!

PUB – CONTINUE A LER A SEGUIR



A ‘estrela’ local Armand Duplantis acabou mesmo por ser o grande destaque no ‘meeting’ de atletismo de Estocolmo, da Liga Diamante, com um salto com vara a 6,16 metros, melhor registo de sempre ao ar livre.

Duplantis saltou muito folgadamente acima da fasquia, à segunda tentativa, confirmando-se como ‘favorito único’ para o ouro nos Mundiais de atletismo, dentro de duas semanas em Eugene, Estados Unidos.

O jovem sueco de 22 anos tem como recorde mundial 6,20 metros, na vitória do Mundial ‘indoor’ de Belgrado, em março. Ao ar livre, o seu melhor era de 6,15 metros, conseguidos em setembro de 2020, em Roma.

A grande marca de Duplantis acabou por atenuar bem a ausência do campeão olímpico dos 100 metros, o italiano Marcell Jacobs, que continua não totalmente recuperado de lesões.

A decisão de não competir foi hoje mesmo anunciada pelo ‘staff’ médico do velocista, que prefere não arriscar a tão poucos dias do Mundial de Oregon2022.

Esta época, Jacobs ainda não correu abaixo de 9,99 segundos, com vento, e 10,12 segundos regulares, manifestamente insuficiente para competir ao nível dos melhores de 2022.

Em Estocolmo, triunfou o sul-africano Akani Simbine, em 10,02 segundos.

Na etapa sueca da Liga Diamante estiveram duas portuguesas em competição, ambas no lançamento do peso – Auriol Dongmo e Jessica Inchude, que estarão ambas nos Mundiais em Eugene.

Em melhor plano, Dongmo foi aos lançamentos finais e acabou em terceir0, com 19,30 metros. Em primeiro e segundo lugar ficaram a norte-americana Chase Ealey (20,48) e a canadiana Sarah Mitton (19,90).

Em oitavo e último lugar posicionou-se Jessica Inchude (17,29), que hoje mesmo viu ser confirmado o seu apuramento para os Mundiais do Oregon, através de posição no ‘ranking’.

Muito bem esteve, também, a são-tomense Agate de Sousa, que vive e treina em Portugal. Foi quarta no salto em comprimento, com 6,73 metros, imediatamente à frente da campeã olímpica, a alemã Malaika Mihambo.

Nota ainda para o sucesso do brasileiro Alison dos Santos nos 400 metros barreiras, em 46,80 segundos, nova melhor marca mundial do ano.

O tempo conseguido pelo jovem brasileiro, de 22 anos, supera como recorde do ‘meeting’ um registo do recordista mundial, o norueguês Karsten Warholm, que se lesionou no início de junho.

Alison dos Santos, bronze nos Jogos Olímpicos de Tóquio2020, confirma-se como grande favorito para Eugene, tendo em conta a época menos conseguida de Warholm.

Tags

Sem comentários

deixar um comentário