02 Dezembro 2021, 19:05

EDP prevê investir 1.200 ME até 2025 em novos mercados como o asiático

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Lisboa, 25 fev 2021 (Lusa) — O presidente executivo da EDP disse hoje que o grupo prevê um investimento de 1.200 ME, 5% do total previsto de 24.000 milhões até 2025, em novos mercados asiáticos, como, por exemplo, no Vietname, Coreia do Sul, ou Japão.


“Vietname, Coreia do Sul, Japão, há uma série de países que estamos a analisar e já temos alguns projetos em vista”, afirmou Miguel Stilwell d’Andrade, em conferência de imprensa, depois da apresentação do plano estratégico da energética para 2021-2025.


O líder da EDP, que assumiu recentemente funções, em substituição de António Mexia, acrescentou que é “fundamental” uma escolha rigorosa dos países onde investir.


“Nós só investimos em países que tenham enquadramento regulatório o mais previsível possível. […] Queremos estar seguros de que quando fazemos esse investimento, vai ser rentável a prazo”, sublinhou.


A EDP prevê realizar 80% do investimento previsto até 2025 na Europa e na América do Norte, em partes iguais, invertendo a primazia que deu aos EUA nos últimos anos, e reduz no Brasil, segundo o plano estratégico.


De acordo com o plano estratégico 2021-25, a EDP vai investir 24.000 milhões de euros na transição energética, dos quais 80% em energias renováveis – tecnologias eólica, solar, hidrogénio verde e armazenamento de energia – o que vai permitir que, em 2030, 100% da eletricidade produzida seja a partir de fontes renováveis.


Segundo o plano hoje apresentado aos analistas pelo presidente executivo, Miguel Stilwell d’Andrade, por geografias, 80% do investimento será na Europa (40%) e na América do Norte (40%), 15% no Brasil e na América Latina e os outros 5% no “resto do mundo”.


A EDP quer ter mais 50 gigawatt (GW) em energia limpa até 2030, passando de uma produção renovável atual de 74% para 100% em 2030, de acordo com o plano estratégico para 2021-25 divulgado hoje.


A anterior meta, definida em março de 2019, previa mais de 90% de produção renovável em 2030.


Em 2020, 74% da produção da EDP foi a partir de fontes renováveis, antecipando em dois anos o objetivo definido para 2022.



MPE/JNM // MSF


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário