13 Maio 2022, 09:10

Efetivo da PSP vai aumentar nos Açores mas “não muito” – diretor nacional

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Ponta Delgada, 09 mai 2022 (Lusa) — O diretor da Polícia de Segurança Pública (PSP), Magina da Silva, avançou hoje que o efetivo de polícias vai aumentar nos Açores, mas “não será muito”, e defendeu uma redução do número de esquadras no país.


Em declarações aos jornalistas após uma audiência com o presidente do Governo dos Açores, José Manuel Bolieiro, na sede da Presidência, em Ponta Delgada, Magina da Silva realçou que existe um “problema crónico de falta de recursos” a nível nacional.


“Os recursos nunca são o que queremos. Efetivamente, a PSP, nos Açores, e não só, gostaria de aumentar o efetivo. No entanto, é sempre uma opção e uma priorização que o diretor nacional da polícia tem de fazer (…) Não existem só os Açores. Não existe só o comandante dos Açores a chatear o diretor nacional porque precisa de mais polícias”, declarou.


O diretor nacional da PSP realçou que existem 948 agentes que vão terminar a formação no “final deste ano”, o que vai permitir aumentar o número de operacionais no arquipélago.


“Se vai aumentar o efetivo ou não? Irá aumentar. Se vai ser muito ou pouco? Não será muito”, afirmou, frisando que ainda não é possível quantificar o reforço de meios.


Magina da Silva defendeu ainda uma “redução do número de esquadras em todo o país”, porque existem “demasiadas instalações policiais”.


Considerando que o número de instalações é um “problema estrutural” da PSP, o responsável destacou que “mais esquadras não significam mais polícias”.


“Quanto mais esquadras tivermos, menos polícias temos disponíveis para acorrer ao cidadão em apuros. Isto porque a PSP tem uma mania, uma boa mania, de, quando tem uma instalação policial operacional, querer mantê-la aberta 24 horas”, assinalou.


O presidente do Governo dos Açores (PSD/CDS-PP/PPM) alertou que as “responsabilidades” e as “necessidades” da PSP vão aumentar na região devido à extinção do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF).


“A PSP precisa de um reforço para cabalmente cumprir a sua missão: a sua, de sempre, e essa nova que acumulará por diante no futuro. Transmiti ao senhor diretor nacional da PSP que pode contar com o Governo Regional como um aliado reivindicativo”, disse.


Bolieiro reconheceu a “escassez de recurso e meios” que existe na região, mas enalteceu o “esforço” realizado pelo comando regional da PSP.


A 18 de janeiro, a Associação Sindical dos Profissionais da Polícia (ASPP/PSP) defendeu um reforço do número de efetivos nos Açores, de forma a garantir mais segurança à população.


Segundo disse então o sindicalista Paulo Pires, “há oito anos, o Comando Regional dos Açores tinha 920 efetivos e hoje em dia tem 700”.



RPYP (JME)// ACG


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário