06 Fevereiro 2023, 22:34

Empresas portuguesas detetadas em operação contra comércio ilegal de madeira do Brasil

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Lisboa, 18 nov (Lusa) – Uma operação da Europol de combate ao comércio ilegal da madeira do Brasil detetou irregularidades em 12 empresas portuguesas, revelou hoje aquela polícia, apontando também o envolvimento de empresas de Itália, Espanha e Países Baixos.


A Europol detalhou, em comunicado, que foram realizadas mais de 350 inspeções durante uma operação conjunta que decorreu em setembro e visou o comércio ilegal de madeira tanto nos países de origem como de destino.


“Os investigadores detetaram irregularidades relacionadas com 17 empresas (uma em Itália, uma nos Países Baixos, três em Espanha e 12 em Portugal). As autoridades competentes instauraram processos penais contra uma destas empresas”, adiantou.


As investigações envolveram autoridades policiais do Brasil, França, Itália, Países Baixos, Portugal e Espanha, bem como o Projecto Latino-Americano EL PAcCTO, e visaram redes envolvidas em crimes ambientais, abate ilegal de árvores, contrabando, evasão fiscal, lavagem de dinheiro e falsificação de documentos.


“As autoridades nacionais efetuaram controlos principalmente nos portos brasileiros de exportação e nos portos europeus de procura de importações ilegais. As redes criminosas utilizaram a falsificação de documentos para dissimular a origem da madeira ou a espécie real nos carregamentos para passar os controlos aduaneiros e chegar aos consumidores”, refere o comunicado.


De acordo com a Europol, esta foi a “primeira vez que os países de origem e de destino para o comércio ilegal de madeira se associaram numa inspeção coordenada”.


No comunicado, a organização assinala que o comércio ilegal de madeira contribui significativamente para a atual desflorestação nos países de origem, esgotando os seus recursos naturais.


A Europol coordenou as atividades operacionais, facilitou o intercâmbio de informações, prestou apoio analítico e, durante os dias da operação, destacou peritos para os Países Baixos para apoiar as atividades no terreno.



CFF // PJA


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário