04 Julho 2022, 00:11

Encontrados 26 corpos nos escombros de dois edifícios residenciais em Borodianka

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Kiev, 07 abr 2022 (Lusa) — Equipas de resgate ucranianas encontraram hoje 26 corpos nos escombros de dois edifícios habitacionais de Borodianka, a noroeste de Kiev, anunciou a procuradora-geral ucraniana Iryna Venediktova.


“É a cidade mais destruída da região. Só dos escombros de dois prédios de apartamentos bombardeados foram retirados 26 corpos. É difícil prever quantos mortos existirão”, escreveu Iryna Venediktova na rede social Facebook.


Segundo a procuradora-geral, o alvo do ataque aos edifícios foi “apenas a população civil”, uma vez que “não existe qualquer base militar” naquela localidade recentemente recuperada pelas forças ucranianas, após a retirada das tropas russas da região de Kiev.


Venediktova alegou ainda que os russos usaram bombas de fragmentação e lança rockets pesados que “provocam morte e destruição”.


“Há provas de crimes de guerra cometidos pelas forças russas em cada esquina. O inimigo bombardeou, à traição, durante a noite, quando havia o máximo de pessoas em casa”, acusou.


As descobertas macabras de corpos e valas comuns têm-se multiplicado nos últimos dias em várias pequenas cidades da região da capital ucraniana, devastadas pelos combates com as forças invasoras.


A Ucrânia e os países ocidentais acusaram os militares russos de “crimes de guerra” após a descoberta de dezenas de cadáveres, aparentemente civis, mortos a tiro nas ruas de Bucha, igualmente a noroeste de Kiev.


A Rússia lançou em 24 de fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia que matou pelo menos 1.611 civis, incluindo 131 crianças, e feriu 2.227, entre os quais 191 menores, segundo os mais recentes dados da ONU, que alerta para a probabilidade de o número real de vítimas civis ser muito maior.


A guerra já causou um número indeterminado de baixas militares e a fuga de mais de 11 milhões de pessoas, das quais 4,3 milhões para os países vizinhos.


Esta é a pior crise de refugiados na Europa desde a II Guerra Mundial (1939-1945) e as Nações Unidas calculam que cerca de 13 milhões de pessoas necessitam de assistência humanitária.


A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas e políticas a Moscovo.


 


SYL //RBF


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário