04 Julho 2022, 00:58

Escritora cabo-verdiana Dina Salústio vence Prémio Literário Guerra Junqueiro Lusofonia

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Redação, 25 mar 2022 (Lusa) — A escritora cabo-verdiana Dina Salústio recebe hoje, na Cidade da Praia, o prémio Literário Guerra Junqueiro 2022, na Biblioteca Nacional de Cabo Verde, anunciou hoje a curadora do galardão.


“Dina Salústio é a vencedora da edição 2022 do Prémio Literário Guerra Junqueiro Lusofonia 2022 Cabo Verde. A entrega do prémio acontecerá na Biblioteca Nacional de Cabo Verde, na Cidade da Praia”, revelou à Lusa Avelina Ferraz.


A cerimónia decorre no âmbito do Encontro de Escritoras Lusófonas, promovido pela Academia Cabo-Verdiana de Letras e pela Sociedade Cabo-Verdiana de Autores, indicou a curadora.


O Prémio Literário Guerra Junqueiro é promovido no âmbito do Freixo Festival Internacional de Literatura (FFIL), que se realiza desde 2017, em Freixo de Espada à Cinta, terra natal de Guerra Junqueiro (1850-1923) e vila anfitriã do prémio, em Portugal.


“É um privilégio poder entregar um prémio destes e destacar o papel do feminino na literatura lusófona. Mulheres que, tal como Guerra Junqueiro, patrono desta iniciativa, são ativistas no plano social, económico e cultural. Ousam desafiar paradigmas e fazem valer a sua voz, cada vez mais e melhor’, explicou a vice-presidente da câmara de Freixo de Espada à Cinta, no distrito de Bragança, Ana Luísa Peleira.


Para a curadora do prémio, Dina Salústio “é um marco na literatura cabo-verdiana”.


“Muito crítica relativamente à sociedade contemporânea, a sua obra espelha uma discussão baseada na desigualdade de género, apontando caminhos e soluções, com recurso a uma linguagem muito própria”, concretizou Avelina Ferraz.


O Prémio Literário Guerra Junqueiro Lusofonia distinguiu, em 2021, os escritores Albertino Bragança (São Tomé e Príncipe), Vera Duarte Pina (Cabo Verde), Abraão Bezerra Batista (Brasil), Abdulai Sila (Guiné-Bissau), Luís Carlos Patraquim (Moçambique), Agustín Nze Nfumu (Guiné Equatorial), João Tala (Angola) e Xanana Gusmão (Timor-Leste).


Para 2022, os promotores do FFIL disseram que os restantes premiados, tanto para Portugal como para a lusofonia, serão revelados a breve prazo.


O Prémio Literário Guerra Junqueiro, que em 2020 foi alargado à Lusofonia, com o Prémio Literário Guerra Junqueiro Lusofonia, “é um importante contributo para um movimento criador de uma união cultural lusófona e responsável”, frisou à data Avelina Ferraz.


O papel social, político e cultural que Guerra Junqueiro assumiu no seu tempo foram e continuam a ser fonte de inspiração para escritores e poetas.


“Este prémio literário dá voz a quem, como ele, pretende manter em aberto todos os temas pertinentes e que façam deles as suas próprias causas, através da escrita”, indicou a organização do evento literário.


A primeira edição do Prémio Literário Guerra Junqueiro distinguiu Manuel Alegre (2017), seguindo-se Nuno Júdice, em 2018, José Jorge Letria, em 2019, Ana Luísa Amaral, em 2020. Em 2021, em Portugal, o prémio foi atribuído a Hélia Correia.



FYP // MAG


Lusa/fim

Sem comentários

deixar um comentário