30 Julho 2021, 17:29

Ex-PM guineense Aristides Gomes apresenta queixa por difamação contra deputados

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Bissau, 23 jun 2021 (Lusa) — O antigo primeiro-ministro guineense Aristides Gomes apresentou hoje uma queixa contra dois deputados da Guiné-Bissau por difamação, disse hoje o seu advogado Carlos Pinto Pereira.


“Aquilo que esperamos é que Aristides Gomes seja completamente ilibado das acusações, das calúnias, que lhe foram feitas”, afirmou, aos jornalistas, o advogado de Aristides Gomes, que se encontra fora da Guiné-Bissau, depois de ter estado quase um ano refugiado na sede da ONU, em Bissau.


Em causa, segundo o advogado, estão declarações feitas pelos deputados Bamba Banjai e José Carlos Semedo, do Movimento para a Alternância Democrática (Madem-G15), de que Aristides Gome,s na qualidade de primeiro-ministro, teria alegadamente vendido passaportes a 14 cidadãos paquistaneses.


O advogado explica também que os dois deputados afirmaram que os passaportes foram vendidos por cerca de 504 mil euros e que o “dinheiro resultante dessa venda foi colocado numa conta pertencente ao PAIGC (Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde”.


“Iremos convidar estes senhores a fazerem prova daquilo que dizem e temos absoluta certeza que serão incapazes de provar em tribunal aquilo que disseram”, afirmou advogado, salientando que a equipa de advogados de Aristides Gomes irá aguardar serenamente pelos “tribunais e o Ministério Público”.


Nas declarações à imprensa, o advogado apelou também ao novo presidente do Supremo Tribunal de Justiça, juiz conselheiro Mamadú Saido Balde, para que seja dado andamento a processos que deram entrada naquele tribunal.


“Infelizmente os processos que têm estado dar entrada naquele tribunal não têm andamento. Queremos acreditar que o que anunciou como um novo fôlego no Supremo Tribunal de Justiça será uma realidade e com isso teremos a apreciação de casos que temos pendentes no Supremo Tribunal de Justiça, nomeadamente o processo relativo à confirmação da eleição de Armando Mango como primeiro vice-presidente da Assembleia Nacional Popular, que até ao momento presente não teve qualquer seguimento”, salientou.



MSE // PJA


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário