24 Janeiro 2022, 11:14

Exportações de vestuário até novembro superam 2020, mas ainda aquém de 2019 – ANIVEC

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Redação, 10 jan 2022 (Lusa) — As exportações portuguesas de vestuário aumentaram 20%, para 2.871 milhões de euros, de janeiro a novembro de 2021 face a 2020, mas ficaram ainda 28 milhões de euros abaixo do valor de 2019, informou hoje a associação setorial.


Segundo a Associação Nacional das Indústrias de Vestuário e Confeção (ANIVEC/APIV), a tendência de recuperação registada no setor “continua a ser dinamizada pelo vestuário de malha”, já que “o vestuário de tecido está ainda muito aquém dos valores de 2019”.


Num comunicado emitido na sequência dos dados do comércio internacional de bens divulgados hoje pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), a ANIVEC destaca, entre os principais mercados de destino das exportações de vestuário, o caso da Espanha.


Este mercado, salienta, “apesar de permanecer 20,6% abaixo do valor de 2019, já recuperou 15,5% das exportações em relação a 2020”.


A associação aponta também os desempenhos do mercado francês, com crescimentos de 15,2% em relação a 2019 e de 23,0% em comparação com 2020, e do italiano, com subidas de 15,5% e de 28,8%, respetivamente.


Até novembro, segundo a ANIVEC, as exportações de produtos de vestuário de malha “evidenciaram um desempenho muito mais dinâmico do que os produtos de vestuário de tecido, acumulando um crescimento de 26,3% em relação a 2020 e de 8,3% quando comparadas com 2019”.


“No caso do vestuário de tecido, assistimos ao reforço do crescimento em relação a 2020 (aumento de 5,7%), mas as exportações estão a evidenciar sérias dificuldades para recuperar o valor verificado em 2019 (descida de 20,9%)”, nota a associação.


Citado no comunicado, o presidente da ANIVEC refere os “desempenhos muito interessantes” do setor em “mercados de referência como o francês, o germânico, o italiano, o holandês e o norte-americano”.


“Mas continuamos a salientar que esta evolução está fundamentalmente suportada no vestuário de malha”, sustenta César Araújo, admitindo acompanhar “com grande preocupação a evolução do vestuário de tecido, onde, por exemplo, o mercado espanhol, com um peso acima de 37% das exportações, permanece 34,5% abaixo do valor de 2019”.


Globalmente, segundo os dados preliminares hoje avançados pelo INE, as exportações portuguesas de bens aumentaram 15,7% e as importações subiram 32,3% em novembro de 2021 face ao mesmo mês de 2020.


Já face a novembro de 2019, período pré-pandémico, as exportações aumentaram 15,1% e as importações 17,0%.



PD // JNM


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário