15 Maio 2022, 21:01

Exportações do Brasil para Portugal cresceram 75% nos dois primeiros meses de 2022 – câmaras de comércio

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Lisboa, 20 abr 2022 (Lusa) — As exportações do Brasil para Portugal aumentaram 75% nos dois primeiros meses deste ano, em comparação com o período homólogo de 2021, segundo dados divulgados hoje pela Federação das Câmaras Portuguesas de Comércio no Brasil (FCPCB).


De acordo com os dados do observatório de negócios internacionais da FCPCB, “o total das exportações do Brasil para Portugal em janeiro e fevereiro de 2022 foi de 542,1 milhões de dólares (502,51 milhões de euros)”, o que significa um crescimento de cerca de 75% em relação ao mesmo período do ano passado.


Dos estados do Brasil, o que deu maior contributo para este total foi o Rio de Janeiro, cujas exportações para o mercado português atingiram o valor total de cerca de 420 milhões de dólares (389,2 milhões de euros), nos dois primeiros meses do ano, o que representa um aumento de 87% em comparação com o primeiro bimestre de 2021.


Arlindo Varela, conselheiro da Câmara Portuguesa do Rio de Janeiro, explica este crescimento com as vendas de petróleo, tal como já tem acontecido em anteriores dados de estatísticas oficiais sobre exportações do Brasil para Portugal.


“É o petróleo que prevalece na balança comercial. Nós exportamos pelos portos do Rio de Janeiro e pelo porto de Santos, mas é na Bacia de Campos que ele mais predomina, pois tem o maior destaque em termos de produção”, afirma, numa nota divulgada pela Federação.


“Para nós da Câmara, esse resultado é muito relevante pois valoriza ainda mais o Rio de Janeiro”, acrescenta.


O primeiro dos cinco produtos mais exportados do Brasil para Portugal naqueles dois meses são os combustíveis (produtos petrolíferos), num valor total de 387,573 milhões e dólares (357,05 milhões de euros), ou seja, mais 86,85% do que em janeiro e fevereiro de 2021, seguidos de ferro e aço (33,841 milhões de dólares, mais 99,76%), madeira, carvão vegetal e obras de madeira (27,925 milhões de dólares, +71,36%), arroz (5,254 milhões, -20,09%) e estanho (5,230 milhões, +64,52%).


Já do lado das importações, o observatório de negócios da federação indica que os estados brasileiros que mais compras fizeram em Portugal nos dois primeiros meses do ano foram São Paulo, com um total de 42 milhões de dólares, seguido de Santa Catarina (34 milhões de dólares), Rio de Janeiro (cinco milhões de dólares), Rio Grande do Sul (cinco milhões) e Pernambuco (quatro milhões).


Na nota, o Presidente da FCPCB salienta que “a missão da Federação é apoiar as 18 Câmaras de Comércio Portuguesas no Brasil e, deste modo, servir às relações luso-brasileiras, praticando, sobretudo, uma ação de auxiliar às câmaras na afirmação do seu papel na diplomacia económica”.


“Acredito que estamos a cumprir essa missão de abrir portas para firmar cada vez mais parcerias. O Observatório de Negócios é uma ferramenta muito importante para nós, para sinalizar aos empresários e investidores as oportunidades de negócios”, afirma Armando Abreu.


O Observatório de Negócios Internacionais foi criado com o objetivo de proporcionar, de forma mais fácil, didática e precisa, a análise sobre as exportações e importações de qualquer cidade, estado ou país.


Esta ferramenta foi desenvolvida pela Federação das Câmaras Portuguesas de Comércio no Brasil — FCPCB, em parceria com a Câmara Brasil Portugal no Ceará – CBPCE e com o apoio da APSV Advogados, esclarece a federação.


Os dados divulgados pelo Observatório são da plataforma BI (Business Inteligence), que compila as informações divulgadas pelo Ministério da Economia desde 1997 e faz as comparações de acordo com o filtro desejado, pois contém detalhes das relações comerciais com Portugal, inclusive com informações do comércio exterior de todos os estados brasileiros onde há Câmaras luso-brasileiras, adianta.


Isto possibilita também analisar o comércio corrente entre um determinado estado e os países com os quais tem relações de comércio.



ATR // VM


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário