25 Janeiro 2023, 01:46

Fantasporto arranca em 1 de abril no Rivoli e tem 26 antestreias europeias e mundiais

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Porto, 23 mar 2022 (Lusa) — O festival de cinema Fantasporto regressa ao Porto de 01 a 10 de abril, e vai exibir 26 filmes em antestreias europeias e mundiais, entre os 55 filmes em competição e inéditos em Portugal, anunciou hoje a organização.


“De entre os 55 filmes em antestreia nacional nas três competições, o Fantasporto apresenta 26 antestreias europeias e mundiais, facto inédito num evento cinematográfico em Portugal. A grande maioria dos filmes que vão ser exibidos são de grandes produções”, declarou o diretor do Fantasporto, Mário Dorminsky, numa conferência de imprensa que decorreu hoje no Teatro Rivoli, no Porto.


A Ucrânia protagoniza o encerramento desta edição do festival, com um percurso nostálgico pela sua capital, no filme “Everything, nothing and something else”, de Marina Kondratieva.


O filme da abertura oficial da 42.ª edição do Fantasporto é “xxxHolic”, de Mica Ninagawa, com 110 minutos de duração, e vai também estar em competição na secção oficial de Cinema Fantástico.


“xxxHolic” vai estrear nas salas de cinema do Japão a 29 de abril, e tem como protagonistas atores e músicos “de grande popularidade” na Ásia, tal como Ryunosuke Kamiki, que vai interpretar Kimihiro Watanuki. O filme é uma “adaptação para ‘live-action’ do ‘manga’ “xxxHolic das Clamp”, lê-se no dossiê de imprensa.


O filme revela a história de Kimihiro Watanuki, que vive sozinho após a morte dos seus pais, um estudante do ensino médio que pode ver criaturas de outro mundo, atraídas por ele.


“Os seus dias são atormentados por esses aborrecimentos e ele quer livrar-se deles. (…) Como ele se sairá dos encontros inexplicáveis que o aguardam”, questiona Helder Archer sobre o filme “xxxHolic”.


Na sessão de abertura deste 42.º Fantasporto, no dia 01 de abril, vai também ser exibido o clássico “Blade Runner”, filme de ficção científica de 1982 do realizador Ridley Scott, disse Mário Dorminsky.


Questionado pela agência Lusa sobre se o próximo Fantasporto 2023 iria acontecer no Cinema Batalha, Dorminsky confirmou que, no próximo ano, o festival de cinema internacional do Porto irá acontecer no “Cinema Batalha entre 23 de fevereiro e 05 de março”, e que a edição deste ano é a última no Teatro Rivoli.


Sem contar com Portugal, que apresenta oito antestreias mundiais, a liderar o grupo das antestreias estão o Japão, com seis mundiais e duas europeias, todas elas produções de grande orçamento, vindas de companhias como a Toei, Pony Canyon ou Fugi Film, seguido dos EUA, com uma antestreia mundial e uma europeia. Em terceiro lugar, está a China, com duas antestreias europeias.


“Everything, nothing and something else”, de Marina Kondratieva, é uma comédia dramática ucraniana de 2020 e foi outro dos destaques apontados hoje pela organização.


“É filmado em Kiev, a capital da Ucrânia. É um filme nostálgico que nos mostra a cidade antiga vista por um taxista. É o filme de encerramento do Fantasporto. E os atores são superestrelas”, explicou Mário Dorminsky, referindo que se trata também de uma antestreia mundial.


“Jornada de papel”, de Emanuel de Oliveira e Maria Ana Marques, “Fruta tocada por falta de jardineiro”, de Pedro Senna Nunes, “Dilúvio”, de Eduardo Cruz, e “Atrás das portas”, de Tom Freitas, Bruno Acosta e Inês Paredes, “Misericórdia”, de Gonçalo Loureiro, são alguns dos filmes portugueses que vão ser exibidos no Fantasporto, em antestreia mundial.


Paralelamente à exibição dos filmes, que vão abordar temas variados como pandemia, guerra, sustentabilidade, redes sociais, ocupação de zonas rurais, ficção científica e a importância da tecnologia numa casa, entre outros temas, o Fantasporto vai também exibir uma exposição de cartazes sobre as 42 edições do certame, bem como vai apresentar livros “sobre literatura fantástica” e o “livro sobre os 40 anos do Fantasporto”.


O Fantasporto continua a lançar “novos cineastas, muitas vezes com os seus primeiros filmes de ficção de longa-metragem (…), reforçando o seu papel de descobridor de novos talentos cinematográficos, como aconteceu com Quentin Tarantino, Ridley Scott, David Cronenberg, os irmãos Coen, David Fincher, Danny Boyle, David Lynch, Lars von Trier, Guilhermo del Toro, entre muitos outros”, recordou a organização.



CCM // MAG


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário