09 Setembro 2022, 06:31

FC Barcelona vende mais ativos para poder registar Robert Lewandowski

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Agora que chegou aqui…

Ao longo do último ano, o MUNDO ATUAL tem conquistado cada vez mais leitores.
Nunca quisemos limitar o acesso aos nossos conteúdos, ao contrário do que fazem outros órgãos de comunicação, e mantivemos sempre todas as notícias, reportagens e entrevistas abertas para que todos as pudessem ler.
Mas precisamos do seu apoio. Para que possamos, diariamente, continuar a oferecer-lhe a melhor informação, não só nacional como local, assim como para podermos fazer mais reportagens e entrevistas do seu interesse.
O MUNDO ATUAL é um órgão de comunicação social independente e isento. E acreditamos que para que possamos continuar o nosso caminho, que tem sido de sucesso e de reconhecimento, é importante que nos possa ajudar neste caminho que iniciámos há um ano.
Desta forma, por tão pouco, com apenas 1€, pode apoiar o MUNDO ATUAL.

Obrigado!

PUB – CONTINUE A LER A SEGUIR



O FC Barcelona vendeu mais ativos do clube na esperança de cumprir as regras financeiras da liga espanhola de futebol para que Robert Lewandowski e outras contratações possam jogar na abertura da temporada, foi hoje anunciado.

O clube comunicou que concordou em vender 24,5 por cento do seu centro de produção Barça Studios à Orpheus Media, num acordo que lhe permite encaixar 100 milhões de euros e que em Espanha é já denominado como a “quarta alavanca”.

Esta venda do Barça Studios (subsidiária responsável pela gestão das produções audiovisuais e do negócio digital do clube) oferecerá nova liquidez ao clube, que deverá aumentar o seu teto salarial e ajuda-o a registar novos jogadores na LaLiga.

Em julho, o FC Barcelona vendeu uma participação inicial de 25% do seu centro de produção para Socios.com, um provedor de ‘blockchain’, por 100 milhões de euros, bem como 25% dos seus direitos de televisão na liga espanhola pelos próximos 25 anos por quase 670 milhões de euros.

Ao todo, o altamente endividado clube catalão hipotecou o seu futuro por 870 milhões de euros para contratar Robert Lewandowski ao campeão alemão Bayern de Munique, bem como outros talentosos recém-chegados, como Raphinha, Kessié, Christensen e Koundé.

Sobre a venda de quase 50% do seu núcleo de produção, o FC Barcelona disse em comunicado que “com este investimento os parceiros estratégicos do Barça Studios mostram confiança no valor do projeto e no futuro dos conteúdos digitais no mundo do desporto”.

Esta nova injeção de mais 100 milhões de euros deve ajudar o equilíbrio financeiro do FC Barcelona e aumenta as hipóteses de conseguir registar todos os jogadores antes do inicio da temporada, que arranca no sábado com a receção ao Rayo Vallecano, em Camp Nou.

Até esta manhã, o FC Barcelona não tinha ainda registado Lewandowski, Raphinha, Koundé, Franck Kessié e Andreas Christensen, nem Ousmane Dembélé e Sergi Roberto, que assinaram novos contratos após o vencimento dos antigos.

O clube está também a tentar vender jogadores como Samuel Umtiti e Martin Braithwaite, que são indesejados pelo treinador Xavi Hernández, ou Frenkie de Jong, por ter um salário elevado.

Além da venda de parte dos seus direitos televisivos, o clube jogou recentemente em várias frentes para obter liquidez rapidamente e assim estar ativo no mercado com um empréstimo de 595 milhões de euros do Goldman Sachs e um patrocínio com o Spotify por aproximadamente 435 milhões de euros.

Em agosto de 2021, o presidente Joan Laporta anunciou após uma auditoria às finanças do clube que o FC Barcelona tinha que enfrentar uma dívida total estimada em 1,35 mil milhões de euros, e o clube havia resolvido deixar Lionel Messi sair para o Paris Saint-Germain, por ser impossível manter a estrela argentina, mesmo com um salário reduzido.

Sem comentários

deixar um comentário