05 Julho 2022, 02:51

FC Porto vence Benfica e fica a um triunfo do título nacional de hóquei em patins

© FC PORTO
LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Agora que chegou aqui…

Ao longo do último ano, o MUNDO ATUAL tem conquistado cada vez mais leitores.
Nunca quisemos limitar o acesso aos nossos conteúdos, ao contrário do que fazem outros órgãos de comunicação, e mantivemos sempre todas as notícias, reportagens e entrevistas abertas para que todos as pudessem ler.
Mas precisamos do seu apoio. Para que possamos, diariamente, continuar a oferecer-lhe a melhor informação, não só nacional como local, assim como para podermos fazer mais reportagens e entrevistas do seu interesse.
O MUNDO ATUAL é um órgão de comunicação social independente e isento. E acreditamos que para que possamos continuar o nosso caminho, que tem sido de sucesso e de reconhecimento, é importante que nos possa ajudar neste caminho que iniciámos há um ano.
Desta forma, por tão pouco, com apenas 1€, pode apoiar o MUNDO ATUAL.

Obrigado!

PUB – CONTINUE A LER A SEGUIR



O FC Porto resgatou hoje a dianteira da final do ‘play-off’ do campeonato nacional de hóquei em patins, ao impor-se no terceiro embate diante do Benfica, por 9-6, ficando a um triunfo de consumar a 13.ª ‘dobradinha’ da sua história.

Num duelo com várias alternâncias no marcador no Dragão Arena, no Porto, os ‘azuis e brancos’ já venciam ao intervalo por 3-2 e contaram com ‘bis’ de Carlo Di Benedetto, Xavier Barroso, Ezequiel Mena e Reinaldo García e um golo Telmo Pinto, contra dois tentos de Pablo Álvarez, três de Gonçalo Pinto e um de Carlos Nicolía para as ‘águias’.

A decisão da edição de 2021/22 do campeonato é discutida à melhor de cinco partidas e regressa no sábado ao Pavilhão Fidelidade, em Lisboa, onde o FC Porto, que conta os mesmos 23 títulos do Benfica, procurará destacar-se no topo da galeria de vencedores.

Depois dos triunfos folgados de cada rival nos respetivos duelos caseiros (5-0 no Porto e 3-0 em Lisboa), os ‘azuis e brancos’ repetiram a entrada autoritária da primeira partida e marcaram aos dois minutos, através de Carlo Di Benedetto, a ‘meias’ com Diogo Rafael.

Imagem de uma etapa inaugural descomplexada perto das duas áreas atestou o oitavo minuto, quando o guarda-redes Pedro Henriques ficou a pedir falta de Di Benedetto e desguarneceu a baliza ‘encarnada’, com Xavier Barroso a rematar de pronto para o 2-0.

Ato contínuo, o Benfica reduziu distâncias numa incursão de Diogo Rafael concluída por Pablo Álvarez, que havia recuperado de lesão para se estrear nesta final, mas Ezequiel Mena restituiu a vantagem de dois golos ao FC Porto logo após a reposição do esférico.

Se a cadência baixou a partir desses três tentos em meros 21 segundos, a supremacia global dos nortenhos voltou a ser incomodada pelos lisboetas ao quarto de hora, num contra-ataque de Carlos Nicolía finalizado por Gonçalo Pinto à saída de Xavier Malián.

O FC Porto precisaria apenas de 14 segundos para chegar ao 4-2 na segunda parte, por Ezequiel Mena, e ainda viu Pedro Henriques parar um penálti de Gonçalo Alves, a punir falta de Pol Manrubia sobre Xavier Barroso na área, antes do ressurgimento do Benfica.

Gonçalo Pinto surpreendeu Xavier Malián de longe, aos 29 minutos, e Pablo Álvarez empatou depois de uma jogada coletiva por detrás da baliza à meia hora, para, aos 33, o ‘hat-trick’ do avançado luso colocar os ‘encarnados’ pela primeira e única vez na frente.

Refeitos do desnorte repentino, os pupilos de Ricardo Ares repuseram a igualdade dois minutos depois, por Reinaldo García, e despedaçaram o fulgor anímico do conjunto de Nuno Resende aos 39, num ‘tiro’ ao ângulo de Xavier Barroso a vários metros da baliza.

O jogo pendeu em definitivo para os anfitriões na última dezena de minutos, com Telmo Pinto a percorrer toda a largura nas costas de Pedro Henriques para atirar a contar, aos 41, e Reinaldo García a guiar uma rápida transição e ‘assinar’ o 8-5 com uma ‘bomba’.

Desfalcado do lesionado Lucas Ordóñez, o Benfica ainda pôs Carlos Nicolía na lista de marcadores, numa recarga ao livre direto travado por Xavier Malián, aos 46 minutos, mas Carlo Di Benedetto completou o resultado aos 48, também da marca dos 7,40 metros.

A final entre as duas equipas com mais títulos nacionais (somam ambos 23) pode ficar decidida no sábado, caso o FC Porto vença na Luz, com a ‘negra’, caso seja necessária, a estar marcada para 29 de junho, novamente no Dragão Arena.

PUB – CONTINUE A LER A SEGUIR



Jogo no Dragão Arena, no Porto

FC PortoBenfica, 96.

Ao intervalo: 3-2.

Marcadores:

1-0, Carlo Di Benedetto, 02 minutos.

2-0, Xavier Barroso, 08.

2-1, Pablo Álvarez, 08.

3-1, Ezequiel Mena, 08.

3-2, Gonçalo Pinto, 16.

4-2, Ezequiel Mena, 26.

4-3, Gonçalo Pinto, 29.

4-4, Pablo Álvarez, 30.

4-5, Gonçalo Pinto, 33.

5-5, Reinaldo García, 35.

6-5, Xavier Barroso, 39.

7-5, Telmo Pinto, 41.

8-5, Reinaldo García, 43.

8-6, Carlos Nicolía, 46 (livre direto).

9-6, Carlo Di Benedetto, 48 (livre direto).

Sob a arbitragem de Pedro Silva, Ricardo Leão e José Manuel Pereira, as equipas alinharam:

– FC Porto: Xavier Malián, Ezequiel Mena, Xavier Barroso, Gonçalo Alves e Carlo Di Benedetto. Jogaram ainda Telmo Pinto, Rafa e Reinaldo García.

Treinador: Ricardo Ares

– Benfica: Pedro Henriques, Diogo Rafael, Carlos Nicolía, Edu Lamas e Gonçalo Pinto. Jogaram ainda Pablo Álvarez, Pol Manrubia e Poka.

Treinador: Nuno Resende.

Assistência: Cerca de 2.000 espetadores.

Sem comentários

deixar um comentário