08 Dezembro 2022, 02:50

Federer saberá se regressa ao ténis ao mais alto nível em abril ou maio

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Redação, 02 fev 2022 (Lusa) — O suíço Roger Federer, de 40 anos, saberá se poderá regressar ao ténis ao mais alto nível “em abril ou maio”, revelou hoje o antigo número um mundial, ainda a recuperar dos recorrentes problemas no joelho direito.


“Os próximos meses vão ser interessantes e importantes para mim. Penso que saberei muito mais até abril, maio. Quero regressar forte e dar tudo o que tenho. Ainda tenho motivação e tenho vontade de trabalhar”, reconheceu o veterano tenista, numa videoconferência de imprensa.


Três dias depois de ser ‘destronado’ como recordista de títulos do ‘Grand Slam’ — Rafael Nadal ganhou o Open da Austrália e distanciou-se do suíço e do sérvio Novak Djkovic, com quem estava empatado com 20 -, Federer revelou que vai regressar ao ginásio na quinta-feira e que está ‘obrigado’ a treinar “devagar”.


“Gostaria de fazer mais, mas os médicos aconselham-me a conter-me um pouco”, completou.


Federer não joga desde a derrota nos quartos de final de Wimbledon, em julho, e da posterior operação ao joelho direito, a terceira no espaço de um ano e meio. Atualmente, ocupa a 30.ª posição na hierarquia mundial, depois de ter perdido o estatuto de ‘ranking’ protegido.


Na temporada passada, aquele que é uma das ‘lendas’ do ténis mundial — e, talvez, o jogador mais popular — disputou apenas 11 encontros, mais cinco do que no ano anterior, quando foi submetido a duas operações ao joelho.


Na conferência de imprensa, o suíço teve ainda oportunidade de voltar a felicitar o seu amigo Rafael Nadal, a quem já tinha dedicado sentidas palavras no domingo.


“Foi bonito ver as suas emoções depois desta vitória ‘arrancada a ferros’. O Rafa tinha-me dito que não se sentia muito bem, mas [no domingo] ele levantou o troféu do Open da Austrália. É verdadeiramente um belo exemplo a seguir para toda a gente”, defendeu.


O suíço e o espanhol, que conquistou o Open da Austrália quatro meses depois de ser operado ao pé esquerdo e semanas após ter estado infetado com o coronavírus, ‘partilham’ uma das mais emblemáticas e bonitas rivalidades do desporto.


O último título de Federer num ‘Grand Slam’ aconteceu precisamente em Melbourne Park, em 2018.



AMG // NFO


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário