17 Agosto 2022, 05:01

Francisco lamenta a morte do cardeal brasileiro que inspirou seu nome papal

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Cidade do Vaticano, 5 jul 2022 (Lusa) – O Papa Francisco manifestou hoje um profundo pesar pela morte do cardeal brasileiro Cláudio Hummes e lembrou que foi ele quem inspirou seu nome papal ao pedir-lhe depois de sua eleição em 2013 para não “esquecer os pobres”.


“As minhas orações são também de agradecimento a Deus pelos longos anos de seu delicado e cuidadoso serviço, sempre pautado pelos valores evangélicos, à Santa Madre Igreja nos diversos cargos pastorais que lhe foram confiados no Brasil e na Cúria Romana e por seu empenho nos últimos anos com a Igreja que caminha na Amazónia”, escreveu Francisco num telegrama enviado ao atual arcebispo de São Paulo, Dom Odilo Pedro Scherer.


Na carta, o pontífice confessou que sempre carrega na memória as palavras que Dom Cláudio Hummes lhe dirigiu quando foi eleito papa em 13 de março de 2013.


Sabe-se que naquela tarde, quando Bergoglio ganhou a votação na Capela Sistina, o cardeal brasileiro lhe pediu que não esquecesse os pobres. Por isso escolheu o nome Francisco, em homenagem a São Francisco de Assis.


Cláudio Hummes, cardeal e arcebispo emérito da cidade brasileira de São Paulo, morreu segunda-feira aos 87 anos, vítima de cancro de pulmão.


Hummes, que em 2006 foi nomeado pelo Papa Bento XVI prefeito da Congregação para o Clero e membro da Ordem Franciscana dos Frades Menores desde 1952, começou a ser conhecido no Brasil há cerca de 40 anos como chefe da Pastoral dos Trabalhadores, em onde atuou entre 1979 e 1990.


Em seus primeiros dias à frente da Pastoral Obrera, apoiou greves sindicais em massa durante os tempos de ditadura militar que governou o país (1964-1985) e chegou a acolher algumas reuniões clandestinas de lideranças trabalhistas em uma igreja.


Contudo, não pertencia ao grupo de padres brasileiros que aderiu à Teologia da Libertação, que considerava ter alguns valores, mas se distanciava da doutrina da Igreja por seguir princípios marxistas.


O ex-presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva lembrou o seu “amor incondicional” pelos pobres nas “situações mais adversas” e por “desafiar” a ditadura em 1970 ao proteger os sindicalistas da diocese de Santo André.


Hummes nasceu em 8 de agosto de 1934 em Montenegro, pequeno município do estado do Rio Grande do Sul, onde em 1958 foi ordenado sacerdote e estudou filosofia na Pontifícia Universidade Antonianum, em Roma.


Em 1975 foi nomeado bispo de Santo André pelo Papa Paulo VI e permaneceu até 1996, quando foi transferido para a Arquidiocese de Fortaleza, capital do estado do Ceará, no nordeste do Brasil, onde dedicou seu trabalho eclesiástico às famílias das periferias daquela cidade.


Hummes foi nomeado arcebispo de São Paulo em 1998 pelo Papa João Paulo II, que em 2001 o nomeou cardeal, e ocupou essas funções até que em 2006 foi transferido por Bento XVI para Roma, para assumir a Congregação para o Clero do Vaticano.



CYR // PJA


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário