13 Maio 2022, 20:16

Fundação Cargaleiro recebe cerca de 1.900 peças de cerâmica doadas pelo artista

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Castelo Branco, 06 mai 2022 (Lusa) — Cerca de 1.900 peças de arte em cerâmica, avaliadas em 1,2 milhões de euros, foram hoje doadas pelo artista português Manuel Cargaleiro à sua Fundação, sediada em Castelo Branco.


“Este ato que fizemos agora foi importantíssimo para esta fundação [Manuel Cargaleiro]. Por um motivo. É que esta fundação é uma fundação importantíssima em Portugal, pelo número de obras que tem, que eu consegui reunir em 70 anos, a colecionar e a trabalhar para a fundação”, disse hoje Manuel Cargaleiro, aos jornalistas, no Solar dos Cavaleiros (Museu Cargaleiro), onde decorreu a cerimónia de doação das 1.875 peças em cerâmica.


Manuel Alves Cargaleiro nasceu em 16 de março de 1927, em Chão das Servas, Vila Velha de Ródão, e a fundação criada pelo pintor e ceramista português para gerir as suas obras tem a sede em Castelo Branco desde 2010.


“São obras feitas por mim, de 70 anos e, paralelamente a isso, fui juntando e comprando (vendia um quadro meu comprava uma obra ou duas de outros artistas) ou obras antigas da história da cerâmica em Portugal e da Europa”, afirmou.


Para o mestre, o que resultou de todo o trabalho realizado ao longo de 70 anos, foi também uma biblioteca só com livros de arte: “Já tem três ou quatro mil exemplares e mais uma grande coleção de obras de arte que ultrapassa as 10 mil”.


“Esta é uma fundação que não tem dinheiro, mas tem obras. Castelo Branco, a capital do distrito onde nasci, foi aqui que me receberam e colaboraram comigo para realizar esta obra [fundação]”, sublinhou.


No final da cerimónia, o mestre Cargaleiro deixou ainda uma mensagem e um desejo.


“Esta fundação ainda não tem a visibilidade que eu gostaria que tivesse, mas espero que as câmaras de Castelo Branco [distrito], cada vez mais desenvolvam e participem com a fundação para a tornar mais conhecida em Portugal e no estrangeiro”, concluiu.


Já João Teixeira, da Fundação Cargaleiro, explicou aos presentes que esta ainda não será a última doação feita pelo mestre: “Haverá ainda mais uma ou duas”.


Por seu turno, o vice-presidente da Câmara de Castelo Branco, Hélder Henriques, disse que o município tem como objetivo transformar o Museu Cargaleiro “num grande polo internacional de visitação. É isto que a câmara tem vindo a preparar”.


O autarca agradeceu ainda a Manuel Cargaleiro o gesto e “por confiar”, uma vez mais, em Castelo Branco”.


A Fundação Manuel Cargaleiro foi criada em 1990 pelo artista, com fins de natureza cultural, artística e pedagógica, tendo por principal objetivo a criação, organização e administração do Museu Cargaleiro, como forma de estudar, investigar, conservar, divulgar e dinamizar o acervo artístico da Coleção da Fundação Manuel Cargaleiro.


À data da sua instituição, a Fundação Manuel Cargaleiro estava sediada em Lisboa, tendo o arquiteto Álvaro Siza Vieira realizado o estudo, entre 1991 e 1995, para o projeto arquitetónico da sede da Fundação Cargaleiro na Praça de Espanha em Lisboa, que não se concretizou.


Atualmente, e através de parceria com a autarquia de Castelo Branco, a Fundação Manuel Cargaleiro encontra-se sediada em plena zona histórica da cidade de Castelo Branco.



CCC // JEF


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário