03 Dezembro 2021, 10:32

Gaia só abre os parques murados a 05 de abril, não murados abriram hoje

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

©Mundo Atual

_______

A Câmara de Vila Nova de Gaia “só abrirá os parques murados” a 05 de abril para “transmitir à população a mensagem de que agora sair é uma exceção e não obrigação”, disse hoje o presidente da câmara.

“Ir aos parques é uma exceção, não obrigação. As pessoas têm de perceber que é para ficar em casa na mesma”, disse Eduardo Vítor Rodrigues que falava aos jornalistas no final de uma reunião de câmara que decorreu esta tarde por videoconferência devido às contingências da pandemia da covid-19.

PUB – CONTINUE A LER A SEGUIR



O autarca referia-se aos parques Biológico e da Lavandeira, enquanto parques não murados, o Morro, por exemplo, abriram hoje, tal como os passadiços junto à orla marítima.

“Abrir a Lavandeira e o Parque Biológico é boicotar a ideia de que o exercício é para fazer à volta de casa”, justificou Eduardo Vítor Rodrigues.

A este propósito, o autarca revelou que o parque Soares dos Reis, fechado por estar em obras, “deverá estar pronto a meio de abril sem abate de árvores, com um tapete de relva novo e após terem sido feitas replantações de espécies que morreram no inverno”.

Este é um dos parques de Gaia que acolherá parques infantis temáticos, desta feita alusivo à figura do Pinóquio, mas para já essa parte da obra não será aberta, referiu Eduardo Vítor Rodrigues.

O autarca também revelou que o centro de vacinação dos Carvalhos abre na primeira semana de abril, estando “dependente da disponibilidade de vacinas”, enquanto o centro instalado no Pavilhão das Pedras está já em funcionamento.

“Reforçamos a comunicação e mensagem de que o Município tem transporte gratuito. Quem precisar de transporte pode contactar os serviços de ação social da câmara”, frisou o autarca que reagia a notícias que davam conta de que uma corporação de bombeiros do concelho cobrou 50 euros a um idoso para transporte de casa até ao centro de vacinação.

“Não podemos estar em todas as casas a passar esta mensagem, nem obrigar os bombeiros a encaminhar os casos para a câmara, mas podemos e estamos a reforçar a mensagem”, frisou.

Sem comentários

deixar um comentário