18 Outubro 2021, 11:48

Governo austríaco crítica Turquia por tratamento dado a Ursula Von der Leyen

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Viena, 07 abr 2021 (Lusa) — O Governo austríaco criticou hoje a Turquia por aquilo que considerou ser um “tratamento desrespeitoso” à presidente da Comissão Europeia, Ursula Von der Leyen, durante a sua recente visita a Ancara.


Na reunião realizada com o Presidente turco, o islâmico Recep Tayyip Erdogan, a líder da Comissão teve que de se sentar num sofá lateral, enquanto o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, foi colocado no centro, ao lado do Presidente turco, um episódio que já é conhecido nas redes sociais como “sofagate”.


“O tratamento desrespeitoso transmite uma imagem profundamente alienante que – alguns dias depois da Convenção de Istambul – só pode ser entendido como uma provocação”, afirmou em comunicado a ministra para os Assuntos Europeus austríaca, a conservadora, Karoline Edtstadler.


A ministra austríaca referiu-se à convenção europeia contra os maus-tratos às mulheres e a violência sexista, da qual Erdogan retirou o seu país há duas semanas apesar dos muitos protestos de grupos feministas e outros.


“Se a União Europeia (UE) estende a mão da Turquia para promover o diálogo, o mesmo deve acontecer do outro lado”, exigiu Edtstadler, sublinhando que “a igualdade entre homens e mulheres não deve ser atropelada”.


Por sua vez, o chefe da diplomacia austríaca, o também conservador Alexander Schallenberg, pediu para não haver ingenuidade em relação à Turquia.


“Ancara já dececionou demasiadas vezes a esperança de uma melhora sustentável. O que precisamos é de uma forma mais realista e pragmática de lidar com a Turquia, sem expectativas cegas da UE”, observou Schallenberg.


“As constantes provocações e problemas estruturais demonstram claramente que as negociações (da Turquia) para entrada na UE são uma ilusão à qual a UE não deve submeter-se”, concluiu o ministro austríaco.


A Comissão Europeia também assumiu hoje estar descontente com o tratamento diplomático reservado a Von der Leyen na reunião de quarta-feira em Ancara, na qual só os presidentes da Turquia e do Conselho Europeu tiveram direito a cadeiras.


Muito comentado nas redes sociais, este incidente dominou a conferência de imprensa diária de hoje da Comissão Europeia, em Bruxelas, com o porta-voz Eric Mamer a admitir que “a presidente claramente ficou surpreendida”, mas “preferiu colocar a substância à frente do protocolo ou da forma”, o que considerou ter sido “a atitude correta”.


Perante a insistência dos jornalistas, o porta-voz da Comissão reconheceu que “a presidente deveria ter sido tratada exatamente da mesma maneira que o presidente do Conselho Europeu e o Presidente turco” e revelou que Von der Leyen, precisamente por “esperar que a instituição a que preside seja tratada com o protocolo que merece”, já deu instruções à sua equipa para tomar as medidas necessárias para garantir que um incidente semelhante não volte a ocorrer no futuro.


Questionado sobre a leitura que se pode fazer do lugar no sofá que Erdogan reservou a Von der Leyen, aparentemente sexista, Eric Mamer alegou que não lhe cabe “fazer julgamentos sobre as causas que podem ter levado a que lhe tenham oferecido determinado tipo de assento”, algo que “só as autoridades turcas podem explicar”.


Já quanto à atitude de Charles Michel, que nas imagens se vê a ocupar o seu lugar ao lado de Erdogan e a estender as pernas enquanto Von der Leyen abria os braços em jeito de interrogação, o porta-voz da Comissão escusou-se a tecer comentários, mesmo perante a insistência dos jornalistas, que perguntavam por que motivo não tinha o presidente do Conselho Europeu pedido uma terceira cadeira ou cedido a sua à presidente da Comissão.


Charles Michel ainda não se pronunciou publicamente sobre este incidente protocolar.



PMC (ACC) // EL


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário