15 Agosto 2022, 21:06

Governo da Geórgia diz que fará tudo para evitar confrontos com a Rússia

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Tbilisi, 06 jul 2022 (Lusa) — O líder do partido no poder na Geórgia afirmou hoje que Tbilisi fará tudo “para evitar o confronto com a Rússia”, mesmo que isso implique atrasar a concessão do estatuto de candidato à adesão à União Europeia ao país.


“A questão da guerra e a obtenção do estatuto de candidato estão diretamente relacionadas, como sublinharam os líderes da União Europeia (UE)”, disse Irakli Kobajidze, numa conferência de imprensa.


Segundo o líder do principal partido do país, o Sonho Georgiano – Geórgia Democrática, os líderes da UE declararam abertamente que o estatuto de país candidato foi concedido à Ucrânia devido à invasão russa de que é alvo desde 24 de fevereiro.


“Se nos envolvermos numa guerra com a Rússia, temos como garantida a obtenção do estatuto”, explicou Kobajidze, assegurando ainda assim que o seu Governo “fará todos os possíveis para evitar o confronto com a Rússia”.


De acordo com o mesmo, uma guerra com Moscovo significaria “a destruição da Geórgia”.


De qualquer forma, o político manifestou estar confiante que a Geórgia conseguirá obter o estatuto de candidato à UE em dezembro deste ano, sendo que para tal o país terá de cumprir um total de 12 condições impostas pelo bloco comunitário.


Tbilisi apresentou a candidatura à UE juntamente com a Ucrânia e a Moldova, após a Rússia lançar a ofensiva contra o vizinho ucraniano.


A 24 de junho, os dirigentes europeus decidiram conceder o estatuto de candidato oficial a Kiev e a Chisinau. Na mesma ocasião, os líderes afirmaram estar “prontos para conceder o estatuto de candidato” a Tbilisi, uma vez feitas as reformas necessárias.


O Governo da Geórgia garantiu que em seis meses irá gradualmente cumprir com todos os requisitos apontados pela UE, que estão relacionados com o reforço da democratização e o fortalecimento da separação de poderes.


No entanto, a oposição não acredita nas intenções do partido no poder e milhares de cidadãos já pediram a demissão da administração atual.


 


BZF/SCA (JGA)// SCA


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário